Logomarca Velhos Amigos
INTERAÇÃO / A PALAVRA É SUA

MINÚSCULO
publicado em: 05/10/2017 por: Lou Micaldas

o brasil se apequenou com temer. cobrança externa é constante e impopularidade, inédita

em um ano e meio no planalto, michel temer apequenou o brasil. o gigante sul-americano, pentacampeão em copas do mundo de futebol, uma das dez maiores economias do planeta, morada das águas doces, pulmão do mundo, é lembrado hoje como país do mandatário denunciado pela procuradoria geral da república por corrupção, obstrução de justiça e organização criminosa, que abre palácio, cofres e cargos públicos a aliados dispostos a mantê-lo no poder. não se passa um mês sem que a presidência da república seja alvo de crítica, alerta ou piada. aqui ou lá fora.

a última cobrança veio em forma de carta assinada por 23 ganhadores do prêmio nobel. os notáveis apelavam contra os cortes no orçamento do ministério da ciência e tecnologia, 44% este ano, 15% no próximo. aventaram o desmantelamento de grupos de pesquisadores de alta qualidade internacional e a fuga de cérebros do país. o presidente não reagiu.

o vice-cônsul do brasil em nova york, julio de oliveira silva, foi exonerado do cargo dias depois de publicar artigo com críticas às gestões econômica e social do governo. antes disso, o general antonio hamilton mourão disse numa palestra em brasília que os militares terão de “impor” uma solução para o problema político, se o judiciário não retirar da vida pública os envolvidos em ilícitos. a ameaça de intervenção numa democracia que, reinstalada após 25 anos de ditadura, teve dois presidentes eleitos afastados em três décadas, não rendeu punição ao militar pelo governo civil de temer.

na revisão periódica universal da comissão de direitos humanos da onu, em maio, o brasil enfrentou um rol de críticas. saiu da reunião em genebra, suíça, com uma centena de recomendações sobre direitos de povos indígenas, execuções policiais, conflitos no campo, perseguição a militantes do movimento social, repressão a manifestações, barbárie no sistema carcerário, violência contra mulheres e população lgbt, discriminação contra imigrantes. autoridades brasileiras foram acusadas de omissão no combate e de cumplicidade nos abusos.

em agosto, temer foi cobrado em redes sociais por personalidades mundiais, como a modelo gisele bündchen e o ator leonardo di caprio, por autorizar a exploração mineral numa área protegida da amazônia, entre os estados do pará e do amapá. o decreto acabou revogado após forte mobilização social, que incluiu protesto da líder indígena sonia guajajara durante a apresentação da cantora alicia keys no rock in rio.

durante a viagem oficial do presidente da república à noruega, em junho, o governo foi informado da redução à metade dos repasses para o fundo amazônia. os noruegueses, que destinaram entre 2009 e 2016 r$ 2,8 bilhões à preservação da floresta, anunciaram o corte, previsto em contrato, em razão do aumento do desmatamento e de concessões à bancada ruralista, entre elas a diminuição de áreas de proteção ambiental.

a aprovação da reforma trabalhista no brasil recebeu críticas do governo uruguaio. ernesto murro, ministro do trabalho do vizinho e parceiro de mercosul, classificou de retrocesso as mudanças. o itamaraty, em resposta, convocou o embaixador uruguaio para esclarecimentos.

michel temer é sistematicamente cobrado no exterior. no país, está acuado por investigações que envolvem ele próprio e seus principais aliados. é refém, pela segunda vez neste semestre, de facções políticas interessadas em trocar votos por cargos e verbas. enfrenta os piores índices de popularidade desde a redemocratização. o último datafolha cravou em 73% a proporção de brasileiros que considera o governo ruim ou péssimo. a taxa de aprovação, de 5%, também é a menor desde josé sarney. temer enfraqueceu a presidência, empobreceu a política, apequenou o brasil. minúsculo.

Autor(a): Flávia Oliveira
Fonte: https://oglobo.globo.com/sociedade/minusculo-21909406
Colaborador(a): Nelson de Sá

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA