Logomarca Velhos Amigos
INTERAÇÃO / A PALAVRA É SUA

Jornais, televisões e rádios publicaram sem maior destaque o relatório dos 100 dias do governo de Wilson Witzel (PSC). O Globo, por exemplo, informou a queda de alguns índices de criminalidade, mas fez a ressalva de que isso já vinha acontecendo desde a intervenção militar, o que não é bem verdade, pois foi justamente a fase em que houve mais tiroteios entre facções, com balas perdidas, e os telejornais diariamente exibiam vídeos enviados pelos moradores das comunidades, eram saraivadas impressionantes.

O relatório é aberto com um texto do governador Witzel, que relata a herança recebida da dupla Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão.

LEGADO MALDITO – “Sabíamos que não seria um desafio simples. Herdamos um Estado em profunda crise fiscal (com um passivo de R$ 27 bilhões), econômica (1,3 milhão de desempregados), de segurança pública (que levou a uma intervenção federal na área em 2018), social (com a pior cobertura da rede básica de saúde do Sudeste e queda nos indicadores de educação) e moral (com políticos, que ocuparam o Executivo e o Legislativo, presos por corrupção)”.

Revela Witzel que a arrecadação tributária teve incremento de R$ 900 milhões em comparação aos 100 primeiros dias de 2018. “Boa parte desse aumento se deu pelas ações fiscalizatórias da Secretaria de Fazenda. Foram 11 operações de combate à sonegação fiscal, com mais de 450 estabelecimentos fiscalizados”, assinala.

EDUCAÇÃO E SAÚDE – Diz Witzel que na educação, foram abertas 1.157 novas turmas, atendendo 40.495 novos alunos. E foi lançada a licitação para a construção de 16 novas escolas em regiões do estado com carência de vagas.

E na saúde foi estabelecido repasse de R$ 5 milhões por mês para o Complexo Hospitalar da Posse, de R$ 14 milhões por mês para os municípios nos programas de UPA, Samu e Farmácia Básica, e investimento de R$ 3,5 milhões por mês para a redução de filas para exames e procedimentos médicos. Além disso, 357 aparelhos de ar-condicionado foram instalados para climatização de unidades.

Realmente, houve bons resultados. Mas e a segurança pública, principal carro-chefe da campanha eleitoral. O que está acontecendo?

TOLERÂNCIA ZERO – O relatório mostra que os resultados da política de Tolerância Zero são espetaculares, com forte queda dos índices de criminalidade. Houve 18% de diminuição de letalidade violenta. Também caiu, em 26%, o número de homicídios dolosos e reduziram-se em 28% os casos de roubo de veículo.

Da mesma foram, ocorreu diminuição do número de roubos de carga em 23%, e o assalto de rua foi o único índice que se manteve no patamar entre 10 e 12 mil casos, estável desde o início de 2018.

O programa Segurança Presente foi expandido para mais três bairros – Tijuca, Leblon e Ipanema. E com a criação do Departamento de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e Lavagem de Dinheiro, subiu 748% o número de pessoas físicas e jurídicas investigadas.

POLÍCIA CIVIL – Foram incorporadas 1.677 novas viaturas e 50 veículos para transporte de presos, além de 8 drones, já em uso na captação de imagens para a inteligência da Polícia Civil. Além disso, houve convocação de 191 oficiais de cartório e 200 papiloscopistas, e até o final do ano serão abertos concursos para delegado, inspetor, perito, técnico e auxiliar de necropsia.

Os resultados corresponderam. No primeiro trimestre aumentou 23% o número de operações da Polícia Civil, houve mais 8% de registros de ocorrência, com 66% de crescimento do número de elucidação de crimes, incluindo o assassinato da vereadora Marielle Franco, do PSol.

Também cresceu em 5% o número de laudos periciais e os indiciamentos aumentaram em 91%. Houve mais 19% em apreensão de drogas, cresceram em 29% os inquéritos com êxito e o número de mandados de prisão aumentou em 21%.

POLÍCIA MILITAR – Os números também são impressionantes em relação à PM, que convocou mais 3 mil soldados e promoveu o retorno de 400 policiais militares cedidos a outros órgãos. Além disso, implantou o projeto-piloto de motopatrulha em quatro batalhões, fez treinamento de 32 policiais do grupamento aeromóvel, capacitados para operar drones, houve incorporação de 591 novas viaturas e a implantação do programa de reconhecimento facial.

O resultado surpreende, com 74% de aumento na apreensão de fuzis; 8% no número de armas e explosivos apreendidos; 20% de crescimento de prisões em flagrante; e 5% de aumento na apreensão de menores infratores,

OUTROS  NÚMEROS – No primeiro trimestre, houve 46% de diminuição do número de PMs feridos em folga, 32% de redução de PMs feridos em serviço; e o mais importante, caiu em 62% o número de PMs mortos, com apenas 4 no primeiro trimestre, vejam que grande notícia.

Ao mesmo tempo, aumentou 123% o número de celulares apreendidos, mais 120% na apreensão de drogas; e houve também crescimento na movimentação de presos, com mais 42% por gestão administrativa, 26% por apresentação à Justiça e 26% por decisão judicial, parece que todo mundo resolveu trabalhar ao mesmo tempo.

Ocorreu aumento de 63% nas prisões temporárias; cresceram em 1% as preventivas e em 5% as prisões provisórias. Além disso, houve mais 190% de ocorrências policiais em barreiras fiscais, incluindo 13 operações marítimas e 1.936 veículos aquáticos abordados.

###
P.S. –
Realmente, é de impressionar. Até porque, nesses primeiros 100 dias, foram realizadas 2.450 palestras de conscientização. Quer dizer, o Rio de Janeiro realmente está renascendo depois do tsunami de Cabral e Pezão. Que assim seja. (C.N.)

Autor(a): Carlos Newton
Fonte: www.tribunadainternet.com.br/
Colaborador(a): José Carlos

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA