Logomarca Velhos Amigos
INTERAÇÃO / A PALAVRA É SUA

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, apresentou denúncia ao Supremo Tribunal Federal contra o senador Agripino Maia (DEM/RN) e outras duas pessoas por associação criminosa e peculato por suposta nomeação de funcionário fantasma ligado ao gabinete do parlamentar.

As investigações apontam que Victor Neves Wanderley repassava a remuneração de seu cargo no Senado a Raimundo Alves Maia Júnior, que eftivamente prestava serviços a Agripino. Por ser servidor na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, Raimundo não poderia acumular cargo no funcionalismo público.

BAITA PREJUÍZO – De acordo com a procuradoria, o esquema levou ao desvio de R$ 600 mil dos cofres públicos ao longo de 84 meses.

Raquel Dodge cobra o ressarcimento dos valores e indenização por danos morais coletivos em valor equivalente ao dobro do desvio e a pena de função pública dos acusados.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – O lance é semelhante ao pedágio cobrado de assessores, como no caso de Flávio Bolsonaro, porque se trata de desvio de recursos públicos. A diferença, no caso, é que Raimundo Maia, parente de Agripino, trabalhava com o senador e gazeteava na Assembleia potiguar. No mais, Agripino está na pior, porque em fevereiro ele perde o mandato de senador e o foro privilegiado. (C.N.)

Fonte: www.tribunadainternet.com.br/
Colaborador(a): Ricardo Pereira de Sá

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA