Logomarca Velhos Amigos
INTERAÇÃO / A PALAVRA É SUA

WILSON WITZEL, O GOVERNADOR QUE QUERIA SER CHUCK NORRIS
publicado em: 08/05/2019 por: Lou Micaldas

Wilson Witzel queria ser Chuck Norris. Como não foi descoberto por Hollywood, candidatou-se ao governo do Rio. Eleito, deixou a administração de lado para brincar de filme de ação.

No sábado, o ex-juiz mobilizou fuzis e helicópteros para bancar o xerife. Policiais civis e militares foram recrutados como figurantes. Um assessor usou o celular para registrar a encenação.

Em traje esporte, Witzel finge comandar uma operação contra o crime em Angra dos Reis. “Acabou a bagunça. Vamos colocar ordem na casa”, anuncia, com cara de mau e olhar fixo na câmera.

Na sequência, ele embarca num “caveirão aéreo” com atiradores munidos de fuzis. O vídeo termina com as armas apontadas para um morro, ao som de rajadas de tiros. Tudo acontece em um minuto, tempo ideal para o compartilhamento nas redes sociais.

Ninguém foi preso, e nenhuma arma foi apreendida. Cumprida a missão caça-likes, o governador foi repousar no Hotel Fasano, com diárias a partir de R$ 1.600. Ele disse ter aceitado a hospedagem como “cortesia”. Alertado de que a prática viola o código de conduta do Estado, mudou a versão.

Na semana passada, Witzel se internou para fazer exames no hospital mais caro do Rio, depois de prometer que só se trataria em unidades públicas. O episódio de Angra é mais grave porque o governador montou um teatro de violência e pôs inocentes em risco para se promover. Dois dias depois, outra operação com helicópteros deixou oito mortos na Maré.

Nos primeiros três meses do governo Witzel, a polícia matou 434 pessoas — quase cinco por dia, um recorde no Estado. O Ministério Público e a OAB estudam medidas para tentar conter o faroeste.

“A política do bangue-bangue não resolve os problemas da segurança”, critica o presidente regional da OAB, Luciano Bandeira. Ele afirma que o uso de helicópteros em operações policiais é proibido por um decreto estadual de 1994. “Em nenhuma hipótese o helicóptero poderá ser usado em confronto armado direto”, diz o texto, ainda em vigor.

Autor(a): Bernardo Mello Franco
Fonte: Jornal O Globo
Colaborador(a): Ricardo Pereira de Sá

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA