Logomarca Velhos Amigos
LITERATURA / CANTO DO CONTO

Página aberta pra você enviar um conto de sua autoria ou da autoria de amigos ou autores preferidos.

DOIS SONHOS...

O ambiente era festivo. Muito barulho, muita alegria, risadas sonoras ecoando pela casa, num entra e sai de colegiais animados, incontidos na sua agitação. E assim, pai, mãe, irmãos e avó nos vimos envolvidos e contagiados por essa euforia.

Autor: Lyne Mattos

O FIO DE CABELO

Pela manhã, depois do café, Dona Madalena foi pegar as roupas sujas da casa para lavar. Não havia tanque.

Autor: Vanderlei Antônio de Araújo

VIDA INTELIGENTE

Em uma galáxia, dentre milhões, que ocupam o espaço sideral, existe um planeta, com seres inteligentes, denominado – Metrópoles. Não se vê a olho nu, mas, se tem notícia de vida semelhante ao que se conhece no planeta terra, com procedimentos inversos. Realmente vida inteligente.

Autor: Milton Britto

BILHETE DE SAUDADE

O velho não sente saudade do passado, a saudade do velho é da juventude...

Autor: João Batista da Silva

QUANDO DIZER NÃO

Em um café, como o meu, tudo pode acontecer. Num dia frio e chuvoso de São Paulo (sim, estava frio, acredite), ela se sentou e me convidou para aquele momento tão dela. Havia passado o dia inteiro sonhando com aquilo. Tomar um café. Ler um jornal. Celular desligado. Sem computador. Sem falatório. Sem cobrança.

Autor: Mariana Primi Haas

ADEUS DOLORES!

Num desses recentes ontens, resolvi fazer nova surpresa à minha querida amiga Dolores. Vestido a caráter, com o indefectível cravo branco na lapela do paletó, sem esquecer a gravata, voltei ao Cabaré do Bueno. Se pudesse, iria direto à cozinha onde ela deveria estar mas isso não me seria permitido, então dirigi-me ao “Bueninho”.

Autor: Ary Franco (O Poeta Descalço)

O PROFESSOR DE DANÇA

Quis o destino que, ao chegar à rodoviária, ele se dirigisse ao primeiro guichê que viu à sua frente. Pensava em ir para o Sul, mas no guichê daquela empresa só vendiam passagens para o Nordeste.

Autor: Onivaldo Paiva

O ANJO

Noite de festa. A família reunia-se sempre em datas festivas, principalmente, quando era aniversário da vovó. Ela era a cumieira da casa.

Autor: Yedda Campos

CONFUSÃO NO METRÔ

Eu estava sem inspiração. Queria escrever alguma coisa que prestasse, não aqueles contos sem-graça que ninguém gostava. Já estava cansado de ver os familiares lendo meus contos e dizendo, muito sem jeito, que “estavam bons”. Saí sem rumo e fui para o metrô, tentando encontrar algum assunto pra escrever...

Autor: Nilda Dias

PEDRO E MARIANE

João Pedro e João Carlos, gêmeos idênticos (ou quase idênticos). Mariane e Marina, gêmeas idênticas (ou quase idênticas). Quis o destino que se encontrassem, mais ainda, tornarem-se dois pares de namorados.

Autor: José Carlos de O. Cavalcante

O ELEFANTE E O COLIBRI

Numa linda manhã ensolarada passeavam pela densa floresta um elefante e um colibri. Obviamente, o segundo ia pousado sobre a cabeça do primeiro e conversavam como dois velhos amigos, pois assim o eram.

Autor: Ary Franco (O Poeta Descalço)
Enviado por: Yna Beta

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA