Logomarca Velhos Amigos
LITERATURA / CANTO DO CONTO

FILHA ADOTIVA
publicado em: 24/07/2018 por: Lou Micaldas

O anseio e desejo por uma filha acabou não se realizando naturalmente. Do casamento, fomos agraciados com a chegada de dois filhos varões, sadios, fortes e exuberantes. No intimo, persistia a vontade de uma filha, uma fêmea, símbolo da prole, meiguice, candura, amiga e companheira.

Debruçamos sobre múltiplas possibilidades, e decidimos pela adoção. Com o perfil desejado e imaginado em mente, eu e minha esposa, nos entregamos à árdua procura. Fomos felizes. Não tardou muito para que a encontrássemos.

Três meses, essa era a sua idade. Pais desconhecidos. Negra de aspecto saudável. Esperta - olhos quais jabuticabas. Cabelos negros

Começamos então, a reviver dias quase esquecidos. Voltamos aos tempos das mamadeiras e banhinhos. Nossos meninos viviam agora o estágio da adolescência, mas, eufóricos, aprovaram nossa decisão. Para nossa menina, daríamos o que existisse de melhor, inclusive, um nome forte, diferente.

Após uma votação familiar, venceu o nome Sasha (origem russa), que significa ousadia, guerreira. Os anos se passaram, e Sasha crescia cheia de vida e saúde. Era a alegria da família. Sociável, afetuosa, responsável, brincalhona e espirituosa. Deixava-nos felizes e realizados.

Agora adulta Sasha nos preocupava. Despontava o tempo dos flertes, dos namoros, da descoberta do corpo, das fogosas paixões! Precisávamos nos preparar com muito tato, esmero e sensibilidade, para essa complexa transição. Tivemos a oportunidade de lhe apresentar um pretendente. A princípio o refutou, mas, num relacionamento mais amiúde e sem que interferíssemos, cedeu aos cortejos do cupido.

Tínhamos certeza de que com ele, Sasha encontraria os caminhos do amor, e os rumos do seu destino. Algum tempo depois, fomos surpreendidos: – Sasha estava grávida! Nenhum motivo para decepção, frustração ou pânico.
Sasha nossa dócil e inesquecível pastora alemã, engravidara da sua primeira e única paixão - um afro, belo e másculo pastor belga, presenteando-nos com uma ninhada de nove maravilhosos filhotes.

Infelizmente, e pela natureza do seu espécime, Sasha já se foi, deixando conosco uma filha, Jade, hoje com 13 anos, a neta Safira, cinco anos e, muitas saudades.

Como também não somos egoístas, acabamos entregando os nossos outros oito netos para adoção!

Nota do autor: os animais são verdadeiros. Eu os tinha em minha chácara. Daí, criei esse conto, para de alguma forma expressar a eles minha gratidão, pela guarda e companhia por tantos anos, com minha família.

Autor(a): Carlos Freitas

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA