Logomarca Velhos Amigos
LITERATURA / CANTO DO CONTO

Página aberta pra você enviar um conto de sua autoria ou da autoria de amigos ou autores preferidos.

AS CINZAS DA TIA MARICOTA

Maria Cota Pereira, conhecida por Tia Maricota, octogenária próxima dos noventa, última remanescente de dez irmãos, viúva, sem filhos, de um português, morava com a empregada numa casa simples no andar de cima de uma padaria no subúrbio da Pavuna.

Autor: Oscar Moreira da Silva

MÃE POSTIÇA

Minha amiga Júlia ligou para falar da cirurgia de sua irmã, e também para convidar-me para a feijoada na casa dela comemorando o aniversário de seu filho Mathias.

Autor: Maria Agusta Carvalho

O GUIA

Foi numa daquelas viagens maravilhosas, quando a gente deixa em casa os problemas, as preocupações, os aborrecimentos e tudo que possa nos tirar o prazer de apreciar novas paisagens, conhecer novos lugares, novos costumes, enfim, novas pessoas.

Autor: Lyne Mattos

APRISIONADO POR UM ANEL

Danúbio e Pedro são grandes amigos e confidentes. Pedro, na sua última conversa com Danúbio, contara um episódio vivido com sua namorada Marta, quando dela tomou o seu anel e o quanto ela ficara brava pelo seu gesto impulsivo. Mas, ele estava muito feliz, e ingenuamente decidido a não mais devolver-lhe.

Autor: Jair Fonseca Martins

CORRESPONDÊNCIA FATAL

Três pessoas acompanharam Marlene à sua última morada: o Dr. Castro, seu dedicado médico dona Adélia, sua madrinha e eu, seu ex-noivo.

Autor: Julio Sayão

FOLHAS DE OUTONO

A lembrança de uma época nos aterroriza ou nos leva a um saudosismo. Nossa mente dá vida a fatos e emoções residentes em nós. Cada momento é revivido e o tempo não se mostra presente.

Autor: Marcos Barreiros

MUSEU VICENTE CELESTINO

Desejando fazer uma pequena viagem, dei uma chegada à agência de Turismo costumeira, para ver o que havia de relaxante, bonito, agradável para as próximas semanas.

Autor: Lyne Mattos

E SEREI MULHER

Disse saber que lhe restavam um milhão duzentas e cinquenta mil pulsações e dispôs-se àquela espera com a inclinação mais suave.

Autor: Rodrigo Garcia Loyer

FILHA ADOTIVA

O anseio e desejo por uma filha acabou não se realizando naturalmente. Do casamento, fomos agraciados com a chegada de dois filhos varões, sadios, fortes e exuberantes. No intimo, persistia a vontade de uma filha, uma fêmea, símbolo da prole, meiguice, candura, amiga e companheira.

Autor: Carlos Freitas

O CÃO MISTERIOSO

No ano de 1999, meu pai comprou uma casa com um quintal enorme, com muitas árvores frutíferas. Mangueiras, abacateiros, amoreiras e outras, faziam sombras muito agradáveis no quintal.

Autor: Nilda Dias Tavares

LAMPIÃO E O FOGO DA MARANDUBA

O ferrenho combate denominado “Fogo da Maranduba” ocorreu no dia 9 de janeiro de 1932, na Fazenda Maranduba, município de Poço Redondo, aqui no nosso querido Estado de Sergipe, cujo intenso e sangrento tiroteio é considerado um dos três maiores enfrentamentos entre cangaceiros e policiais volantes na história do cangaço.

Autor: Archimedes Marques

UM CONTO PARA O DIA DOS NAMORADOS

Eu me considero um grande conhecedor de relacionamentos, tanto que até os evito. Já tive sim uma namorada. Mas o problema das relações é que elas sempre acabam mal. Se um namorico não está mal, é porque ainda não terminou.

Autor: Paulo Henrique Martins
Enviado por: Carlos Henrique de Souza

DOIS SONHOS...

O ambiente era festivo. Muito barulho, muita alegria, risadas sonoras ecoando pela casa, num entra e sai de colegiais animados, incontidos na sua agitação. E assim, pai, mãe, irmãos e avó nos vimos envolvidos e contagiados por essa euforia.

Autor: Lyne Mattos

O FIO DE CABELO

Pela manhã, depois do café, Dona Madalena foi pegar as roupas sujas da casa para lavar. Não havia tanque.

Autor: Vanderlei Antônio de Araújo

VIDA INTELIGENTE

Em uma galáxia, dentre milhões, que ocupam o espaço sideral, existe um planeta, com seres inteligentes, denominado – Metrópoles. Não se vê a olho nu, mas, se tem notícia de vida semelhante ao que se conhece no planeta terra, com procedimentos inversos. Realmente vida inteligente.

Autor: Milton Britto

BILHETE DE SAUDADE

O velho não sente saudade do passado, a saudade do velho é da juventude...

Autor: João Batista da Silva

QUANDO DIZER NÃO

Em um café, como o meu, tudo pode acontecer. Num dia frio e chuvoso de São Paulo (sim, estava frio, acredite), ela se sentou e me convidou para aquele momento tão dela. Havia passado o dia inteiro sonhando com aquilo. Tomar um café. Ler um jornal. Celular desligado. Sem computador. Sem falatório. Sem cobrança.

Autor: Mariana Primi Haas

ADEUS DOLORES!

Num desses recentes ontens, resolvi fazer nova surpresa à minha querida amiga Dolores. Vestido a caráter, com o indefectível cravo branco na lapela do paletó, sem esquecer a gravata, voltei ao Cabaré do Bueno. Se pudesse, iria direto à cozinha onde ela deveria estar mas isso não me seria permitido, então dirigi-me ao “Bueninho”.

Autor: Ary Franco (O Poeta Descalço)

O PROFESSOR DE DANÇA

Quis o destino que, ao chegar à rodoviária, ele se dirigisse ao primeiro guichê que viu à sua frente. Pensava em ir para o Sul, mas no guichê daquela empresa só vendiam passagens para o Nordeste.

Autor: Onivaldo Paiva

O ANJO

Noite de festa. A família reunia-se sempre em datas festivas, principalmente, quando era aniversário da vovó. Ela era a cumieira da casa.

Autor: Yedda Campos

Acesse mais conteúdo de: CANTO DO CONTO clicando nos números das páginas abaixo.

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA