Logomarca Velhos Amigos
INFORMAÇÃO / CURIOSIDADES

Mickey original: em preto e branco, sem luva, com cauda
longa e traços menos redondos |
Divulgação/Arquivo Jornal O Globo

Ao longo dos 90 anos que completou nesta segunda-feira (12/11), Mickey tornou-se um símbolo pop tão bem-sucedido que, frequentemente, o público esquece que o embaixador do universo Disney é, na verdade, um rato. Ao longo dessas nove décadas, o camundongo, desenhado por Walt Disney e pelo animador Ub Iwekers, teve seus traços suavizados, assim como a personalidade, para cair nas graças das crianças e de seus pais. Desde então, diversas gerações se divertiram com os desenhos para a TV, filmes para o cinema e histórias em quadrinhos.


Em 1930, Mickey já contava com sapatos e luvas brancas: opção que
permitia mostrar os contornos dos dedos | Divulgação

Não se sabe exatamente quando foi a criação do Mickey, mas a Disney convencionou o 12 de novembro para celebrar o aniversário porque a data marca o lançamento do curta "Vapor Willie" (Steamboat Willie, no player abaixo). No entanto, sua primeira aparição pública aconteceu antes: em 15 de maio, na animação Avião Maluco (Plane Crazy). Taurino ou escorpiano, não se sabe, mas é consenso que, em seus dois primeiros anos, Mickey pouco lembrava o personagem que povoaria o imaginário popular quase um século depois. Rebelde e frequentemente mal-humorado, ele fumava e bebia, mas ainda não falava: seus primeiros filmes eram mudos.  

Meses depois da animação, Walt Disney decidiu investir em filmes falados, com áudio sincronizado, e Mickey ganharia voz. Assim, Plane Crazy, foi relançado. No dia 29 de outubro de 1988, próximo ao aniversário de 60 anos do camundongo, o GLOBO explicou as transformações enfrentadas pelo personagem, na matéria "Mickey, um sessentão na moda":


Com o Technicolor, o camundongo aparece colorido pela primeira vez em 1935:
ganha olhos maiores e pernas menores | Divulgação

"Originalmente, era um ratinho indisciplinado, vestido com calças curtas e enormes sapatos amarelos. O gato Félix, de Pat Sullivan, criado em 1924, antecipava algumas características físicas e morais daquele primeiro Mickey. Aos poucos, foi sofrendo modificações, até transformar-se em um dono de casa burguesão e complacente". Essas modificações também alteraram sua roupa. Ganhou uma parceira, Minnie, e um animal de estimação: Pluto", explicava a publicação. 


Fantasia, primeiro longa com Mickey, estreou em 1940: introduziu uma personalidade
mais ingênua do personagem, que ganhou nariz mais pontudo | Divulgação

Em tom nostálgico, o texto prosseguia: "Mickey mudou e muito. De importante personagem de desenhos animados e histórias em quadrinhos, tornou-se figura de proa das empresas Disney, que incluem parques de diversões, merchandising, livros, revistas, cadernos escolares, peças de roupas e muitos produtos mais. Esse lamentável ganho de legitimidade, que tirou muito do encanto inicial do personagem, próprio dos heróis de quadrinhos, acabou abrindo brecha pela qual o Pato Donald se insinuou. Donald roubou a cena e transformou-se no seu grande concorrente", concluiu.


"O Natal do Mickey" é um longa-metragem de 1983 | Divulgação

Cerca de vinte anos depois, o tom se revelou profético. Em 26 de agosto de 2018, a capa do Segundo Caderno celebrou a volta às origens de personagem que, oficialmente, chama-se Michael Theodore Mouse. Isto é: Mickey não passa de um apelido, mas chegou a ser registrado originalmente como Mortimer, nome logo abandonado. A reportagem lembra que o formato cada vez mais arredondado do corpo, a inclusão de pupilas nos olhos, o uso de luvas e os sapatos mais bem desenhados ajudaram a desenvolver uma sensação de empatia e conforto do público com o personagem, mas destacou que a Disney busca agora retormar um pouco dos rústicos traços originais. 

Mickey e sua amada Minnie em Walt Disney World | Divulgação

"Um dos primeiros movimentos no sentido de trazer o velho Mickey de volta veio com o curta "Hora de viajar!", (2013), de Laura MacMullen, colado ao longa Frozen. No filme em 3D, o camundongo, sua namorada Minnie, além de Horácio e Clarabela, fazem um passeio até João Bafo-de-Onça aparecer para acabar com a festa. Uma série de piadas físicas envolvendo os personagens se segue. No original em inglês, as vozes de mocinho e vilão são compostas por trechos de sons tirados dos dubladores originais. O próprio Disney e Billy Bletcher".

Os estúdios Disney também investem na recuperação da versão travessa do camundongo na série "Mickey shorts", que apresenta piadas de situações comuns em curtas com entre três e quatro minutos de duração.

Fonte: https://blogs.oglobo.globo.com/blog-do-acervo/post/acompanhe-transformacoes-ao-longo-dos-90-anos-do-mickey-o-camundongo-simbolo-da-disney.html

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA