Logomarca Velhos Amigos
INFORMAÇÃO / DATAS ESPECIAIS

HISTÓRIA DO PAPAI NOEL
publicado em: 20/12/2016 por: Lou Micaldas

O Papai Noel!

Sabemos todos, principalmente as crianças, que o Papai Noel habita na Finlândia, perto do Polo Norte. Mas, onde nasceu, e como esta história começou?

Os nossos antepassados:

As antigas povoações da Europa do Norte eram conhecidas por sua ferocidade e bravura, temendo só uma coisa: que o céu lhes caísse sobre a cabeça. Será que a memória coletiva recordava-lhes o que já tinha acontecido, milhares de anos antes, que o sol não reaparecia mais, pelo menos, durante certo tempo?! Praticamente todas as civilizações antigas têm venerado os planetas mais próximos da gente. Os sacerdotes conhecendo razoalmente bem os mecanismos delas; motivo pela forte influência deles sobre o povo inculto. As datas dos solstícios sempre deram lugar às celebrações religiosas e festividades; isto já bem antes da era cristã. Particularmente na Europa do Norte, onde o sol desaparece durante uma parte do inverno, mergulhando a região durante semanas e meses nas trevas, no frio e na desolação. O Solstício de inverno (quando o sol fica na posição mais baixa em relação ao horizonte) cai em geral entre o 21 ou 22 de dezembro, no hemisfério Norte, evidentemente.

Árvore de Natal:

Em muitas culturas encontravam-se vestígios de árvores sagradas. O Norte da Europa não fez exceção. As árvores levando frutas contribuíram sempre na alimentação. Ora, em invernos, as árvores dessas regiões não têm frutas, perdem as folhas. Permanece o pinheiro sempre verde, do qual se punha um exemplar em todas as casas. Decorado com bolas - simbolizando os frutos, iluminado com velas, ele simboliza a sobrevivência da natureza no meio de um inverno implacável (no Norte do hemisfério Norte), a esperança da volta do sol e de dias melhores.

Santo Nicolas:

Bispo da cidade de Myra (na atual Turquia), Santo Nicolas nasceu em Patara, em 270, e morreu em 345. Ele é o santo protetor dos Lorenos, dos Russos, dos alunos, dos professores, e de outros mais, ainda. A sua comemoração cristã, 6 de dezembro (em referência ao calendário Julián para a maior parte dos ortodoxos), é uma festa muito popular em muitos países do mundo: na França (Região Audácia/Lorena), Bélgica, Holanda, Polônia, Rússia, etc. No dia do Santo Nicolas, a tradição nesses países determina que as crianças, que durante todo o ano foram comportadinhas, devem receber de presente pão de mel. Hoje numerosos parentes oferecem, além do pão de mel, mexericos e às vezes chocolate. Essa distribuição faz-se frequentemente diretamente pelo “Santo Nicolas”, uma vez caída a noite do 6 de dezembro, indo de casa em casa. Porém, aqueles que não foram comportadinhos durante o ano, devem receber golpes de chicotes dados pelo “Pai Chicote” (ou “Père Fouettard”, em Francês), que acompanha o Santo Nicolas. De acordo com a legenda, o “Pai Chicote” recortou 3 crianças, para fazer presunto, mas foram reanimadas pelo Santo Nicolas. Também, sabendo que um pai não tinha como fornecer um dote de casamento às suas três filhas, Santo Nicolas lançou dinheiro nas meias delas, sendo essas postas a secar sobre a chaminé. Quando no Século 17, colonos holandeses criavam New Amsterdã nas Américas, eles traziam com eles o santo protetor Sant Niklaas.

Quando esta cidade tornou-se Nova Iorque, o Sant Niklaas tornou-se Santa Claus. Como a religião dos primeiros imigrantes era essencialmente reformista, venerando nenhum Santo, o Sant Niklaas transformou-se num homenzinho comum, simpático e folclórico. Em 1823, ele se tornou “o Papai Noel”, como nós o conhecemos hoje, pela pluma do Sr. Clemente Moore, ao compor um poema para as suas crianças: “A noite antes de Natal”.

Um desenhista conhecido transformou-o depois em uma personagem de desenhos da época. A partir dos anos 50, o desenvolvimento das comunicações e a moda de copiar a “Way of Life” dos americanos levaram Sant Niklaas de volta para Europa, mas agora sob o nome e vestido de Papai Noel. Para aqueles que têm sorte, a visita dele em casa é durante a noite do 24 para o 25 de dezembro. Os que receberam outrora a visita do Santo Nicolas nas noites dos 5 de dezembro, ainda continuam recebendo-a, frequentemente na grande confusão dos pequenos, que não sabem fazer a diferença entre esses 2 personagens tão semelhantes, que vêm visitando-lhes em tão curto intervalo. Talvez, a longo prazo, não vá mais ter espaço para os dois...

O Papai Noel começou uma longa carreira comercial em 1931, na Coca-cola, da qual, ainda hoje, leva as cores. Agora “superstar comercial”, sem mais nenhuma referência religiosa, ele se impunha durante o fim do ano nos centros comerciais do mundo inteiro, como o símbolo da nossa sociedade de consumo globalizada. No entanto, Sant Niklaas e Papais Noel continuam fazer sonhar - ainda hoje - as crianças de todas as idades. Só não acredita quem quiser!

Desejamos a todos um feliz Natal!
Bertrand e Danielle Seyller

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA