Logomarca Velhos Amigos
INTERAÇÃO / DE AMIGOS PARA

AO AMIGO JOÃO
publicado em: 03/04/2018 por: Lou Micaldas

Hoje tive o desprazer de saber que o meu amigo João Bosco morreu.

Suicidou-se. Sucumbiu à pressões de toda ordem: depressão, desencanto com os desgovernos do país, a corrupção desavergonhada, o poder nas mãos de maus brasileiros, o amor que ele dedicava às pessoas, aos amigos, à vida e que nem sempre fora correspondido.

João morreu de saudade dele mesmo. Morreu triste por não conseguir viver num mundo onde as pessoas fossem solidárias, fraternas e justas.

João morreu e o país ficou mais pobre por ser ele homem digno e honrado.

 João Bosco exerceu com brilhantismo o cargo de Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil. Execelente funcionário, querido e amado por todos.

O Brasil perdeu um sonhador. Alguém que lutava por um país melhor.
João queria mudar o mundo “Pela Paz, Pela Paz” – Puxa João, você quase conseguiu!

João Bosco se foi... Fica no ar uma saudade imensa!
Que Deus o tenha em sua companha....
 
Abaixo uma simples homenagem, transcrevo o prefácio que fiz para um dos seus livros.
 
“Uma das coisas que eu aprendi a valorizar no amigo João Bosco é esse jeito que ele tem gostar de gente. Às vezes ele parece um pé de jasmim, plantado lá num canto de muro a exalar perfume às pessoas que passam.”


PREFÁCIO  
Luiz Aurélio Peregrino Maia *

O mundo está doente. Devastação ambiental, guerras, criminalidade, violência urbana e tantos outros  males da sociedade moderna nos tiram a esperança em dias melhores. Felizmente ainda existem pessoas que persistem a vida inteira para implantar a paz entre nós. São seres humanos que vivem a serviço do bem. João Bosco é um desses! Uma das coisas que eu aprendi a valorizar no amigo João Bosco é esse jeito que ele tem gostar de gente. Às vezes ele parece um pé de jasmim, plantado lá num canto de muro a exalar perfume às pessoas que passam.

Aprendi também a admirar a forma como ele descreve seus  sentimentos em busca da tão sonhada paz e suas ações visando  uma vida melhor  para todos. Faz-nos muito bem vê-lo desenvolvendo sua responsabilidade de cidadão. Seu olhar pacífico geralmente nos conduz a observar melhor a vida que flui. Por meio de suas poesias fica caracterizado o grande humanista que é. Neste seu segundo livro, "Em busca da  Paz - um passo ao encontro do Ser", sem se dar conta, João Bosco acentua uma  característica que lhe é própria de preocupação com o social só conferida  àqueles que amam ao próximo como a si mesmos.

  O leitor perceberá mais claramente a generosidade que o acompanha ao ler mensagens tais como o "Cobertor de papelão", o "Aquecimento global" e o "Mestre da  não-violência", entre outras. Tal como sugere sua poesia "I have a dream", nosso amigo João não se cansa de sonhar com um mundo no qual as diferenças estejam acima de preconceitos, em que brancos e negros se confraternizem e juntos façam valer a esperança de vivermos num mundo mais justo. João, com esse seu jeito de  sonhar com um amanhã decente para a humanidade, parece dizer que maravilhoso será o amanhecer em que veremos a pobreza erradicada, a fome  eliminada, a poluição do planeta banida, o ecossistema preservado, os mares e  rios com águas límpidas e as florestas verdejantes anunciando a paz de um novo  tempo. Nunca é demais exaltar aqueles que querem um futuro mais promissor  para o nosso País.  Parabéns, João Bosco! Obrigado por ser assim!

Autor(a):  * Luiz Aurélio Peregrino Maia é escritor e Poeta

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA