Logomarca Velhos Amigos
INTERAÇÃO / DE AMIGOS PARA

ZILMAR PIRES MOTA
publicado em: 02/04/2018 por: Lou Micaldas

POEMA

TU

ANO NOVO

INDIZIVEL AMOR

NAU

NOCHE DE LUNA LLENA

=================

POEMA

A poesia tem o poder de emocionar,
animar nossa alma,
imaginar novos horizontes,
mostrar nossa grandeza pessoal.
Na vida dificuldades existem.
No entanto, devemos estar
bem preparados para os embates.
Pois, fluir pode de renúncia simples
que conduz o espírito muito além...
Até na incessante busca de alegria
em outas fontes...
Ou no oásis de cada pessoa
a força interior brota,
originando alternativas de lutas vitoriosas,
amistosas como as de Cristo,
ou renúncias construtivas
para se conseguir um novo mundo
com equidade, amor e justiça.

=================

TU

Belas e perfumadas são as rosas.
Nascem mesmo entre espinhos, na roseira
e nos vão perfumando a vida inteira:
a natureza e tuas mãos carinhosas.

E, muito mais que o perfume da rosa,
o modo de viver bem nos  encanta.
Pode ser decantado, em verso e prosa.
Onde há lirismo, tudo nos suplanta.

E não sabes, talvez, que a solidão
bem sinto perturbar-me o coração,
e só nós dois podemos entender.

No entanto, hei de sofrer e, com certeza,
se tu não entenderes a pureza
que envolve todo este meu ser.

=================

ANO NOVO

O ANO NOVO não vai passar em branco,
porque nos encontramos ainda cedo
e, em nossos caminhos, o sonho franco
descortina o porvir e esvai-se o medo.

Não andamos nem seguiremos sós,
por estradas inóspitas, mas... com ânimo.
Lado a lado, até o fim, iremos nós,
bem nas asas de um sonho, sem desânimo.

 Amanhã, não seremos o que fomos,
se nosso amor nos servir de exemplo,
na construção de nosso grande templo.

 E com sopro divino, ó minha gente,
haveremos de ser sempre o que somos:
felizes, para sempre, eternamente.

=================

INDIZIVEL AMOR

Na foto o casal: Zilmar Pires Mota e Afonso Mota Filho
O poema - resultou em casamento

Dirigi ao céu o olhar.
Misteriosa a lua fazia sua viagem.
Eu a contemplava, feliz,
pelos momentos
que você quis e soube ofertar-me.
Ritmos frementes ecoavam
pelo ambiente festivo.
Nem assim, trêmula fez-se minh’alma.
Oh! Despertaram em mim quimeras de amor.
Pois, floresciam do imo de seu ser:
- sonho, segredo e sorriso.
O sorriso das pessoas generosas.
Agora já é saudade.
Mas comigo ficaram:
- a saudade do seu cheiro sedutor,
- a saudade do negrume dos seus cabelos,
- a saudade do silêncio dos seus olhos,
- a saudade, enfim, do seu morenaço.

Volte.
Eu o aguardo para deleite de minhas fantasias.
Como o esplendor do sol nascente,
você surgiu em minha vida. 

=================

NAU

A nau que tripulo há séculos
por esses oceanos incultos,
por essas paragens ocultas,
não é a do porto vulgar
que, desgarrada,
procura as coisas comuns.
Não.
Aquela busca na mutação do tempo
um abrigo modificado,
um abrigo que abrigue,
naus e nautas da tempestade.
Desperançada de um dia
alcançar o seu cais,
continua só
na amplidão imaginada
do seu sonho sem fim.

=================

NOCHE DE LUNA LLENA

En silencio, camina la luna
en el brillo del cielo.
Libre de las nubes
hace su misterioso viaje.
En la quietud de la noche
sopla el viento susurrante
algo ininteligible.
Calma dirige la corriente,
mientras a los nidos recogen las aves.
En verdes prados mastica el ganado.
En el césped, los niños juegan traviesas
y los adultos charlan sobre cosas triviales.
Cuales lámparas eléctricas,
luciérganas parpadeantes
encantan la Naturaleza
con su lucí lumen.
Así, ante tal seducción:
¿por qué no se le preguntar:
es su caída – sí
¿O espera a su amado?
Ciertamente, nadie responde.
¡Sí, no hay nada más hermoso
que la luna llena en el páramo!

=================

Autor(a): Zilmar Pires Mota

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA