Logomarca Velhos Amigos
INFORMAÇÃO / DICAS DE SAÚDE

10 ALIMENTOS QUE PODEM CAUSAR INTOXICAÇÃO ALIMENTAR
publicado em: 20/10/2017 por: Lou Micaldas

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, a intoxicação alimentar afeta anualmente cerca de 76 milhões de pessoas em todo o mundo. Desse número, cerca de 5 mil pessoas perdem a vida. Ou seja, raramente isso acontece, mas mesmo assim é melhor se prevenir, mesmo para evitar todo o desconforto que isso pode causar.

Existem muitas causas diferentes de intoxicação alimentar, como bactérias, toxinas e produtos químicos. No entanto, alguns alimentos têm uma possibilidade maior de te deixar doente do que outros por conta do maior risco de crescimento bacteriano. Portanto, se eles não são cozidos a uma certa temperatura ou não são manipulados ou armazenados adequadamente, há uma boa chance de que você possa ficar doente.

Uma doença transmitida por alimentos pode levar dias ou semanas para se desenvolver, por isso é complicado encontrar a causa específica. Por isso, vamos compartilhar essas importantes informações sobre quais alimentos você deve ter cuidado extra ao manusear, armazenar e cozinhar. Veja a seguir:

Legumes e vegetais folhosos

Como consumimos a maioria desses alimentos crus, o risco é sempre maior. Bactérias como E. coli podem viver no solo em que os vegetais crescem e podem facilmente contaminá-los. Além disso, animais selvagens também podem transferir substâncias nocivas aos alimentos em qualquer momento durante o crescimento.

Uma boa lavagem desses vegetais não só reduz o risco de bactérias nocivas, como também qualquer pesticida e produto químico que possa estar no alimento. Portanto, você sempre deve certificar-se de lavar folhas e legumes antes de consumi-los.

Leite Cru

Você raramente vai encontrar leite cru fora de uma fazenda, mas o recomendável é que, se um dia você viajar para um sítio e te oferecerem, melhor não aceitar. O leite cru não foi pasteurizado, o que significa que não foi aquecido para matar qualquer bactéria nociva. O risco está nas chances de que o leite contenha E. coli, listeria ou salmonela. Se consumido, essas bactérias perigosas podem causar uma série de doenças que causam intoxicação alimentar e podem ser fatais.

Ovos

Os ovos são uma proteína conveniente, versátil e nutritiva e são consumidos por inúmeras pessoas em todo o mundo. No entanto, quando se trata de intoxicação alimentar, eles são considerados de alto risco, especialmente quando cru ou mal cozidos.

As bactérias podem contaminar a gema, o branco ou a casca de ovo. Muitas vezes, um ovo contaminado não vai ter uma aparência, gosto ou cheiro diferente, tornando quase impossível detectar a contaminação. Muitas refeições populares contêm ovos levemente cozidos (ou mesmo crus), portanto, têm um alto risco de causar doenças transmitidas por alimentos. Recomenda-se que você cozinhe completamente todos os alimentos que contenham ovos e evite alimentos com ovos pouco cozidos, como molhos de salada e maionese.

Para desfrutar deste alimento com segurança, recomenda-se que compre ovos limpos e não fissurados. Você deve mantê-los refrigerados a menos de 5 graus Celsius. Além disso, ao rachar o ovo, certifique-se de que a gema ou a clara não toquem o exterior da casca antes de entrar no prato.

Essas recomendações são muito importantes para pessoas vulneráveis, como crianças pequenas, idosas, mulheres grávidas e qualquer pessoa que sofra de uma doença que enfraquece o sistema imunológico.

Queijo

O staphylococcus aureus é uma bactéria comum que pode ser encontrada no queijo. É frequentemente transferida para o queijo quando uma pessoa infectada o manuseia. As bactérias têm uma alta tolerância ao sal, então o queijo é um terreno de cultivo ideal para isso. Além disso, o staphylococcus aureus é resistente ao calor, o que torna o processo de cozimento não 100% eficiente para matar as bactérias.

A melhor maneira de impedir que o queijo seja contaminado com esta bactéria perigosa é armazená-lo em menos de 5 graus Celsius, lavar as mãos antes de manusear o alimento e se certificar de que todas as superfícies, utensílios e equipamentos que você vai utilizar foram completamente higienizados.

Brotos

Os brotos crescem em ambientes quentes e úmidos, que são perfeitos para o rápido crescimento de bactérias. Isso significa que eles são extremamente difíceis de manter limpos. Como geralmente são consumidos crus, há um risco muito alto de causar doenças transmitidas por alimentos, especialmente de salmonelas e E. coli.

Se contaminado, é muito provável que as sementes dos brotos sejam onde as bactérias nocivas serão encontradas. Embora existam diferentes maneiras de reduzir o risco de contaminação, nenhum tratamento é garantido para matar todas as bactérias.

Portanto, as pessoas que são vulneráveis aos efeitos das bactérias potenciais – idosos, mulheres grávidas, crianças e pessoas com sistemas imunológicos mais sensíveis – são instruídos a permanecer longe dos brotos. Se você decidir comê-los, é melhor cozinhá-los primeiro para reduzir o risco de contaminação.

Frango

Não só frango como outras aves cruas ou mal cozidas têm um risco extremamente elevado de causar intoxicação alimentar se não forem tratadas adequadamente. As bactérias Campylobacter e as salmonelas são dois contaminantes comuns em aves, e mesmo pequenas quantidades podem deixar as pessoas gravemente doentes. Essas bactérias muitas vezes contaminam a carne crua quando são processadas pela primeira vez, e podem sobreviver até serem mortas por altas temperaturas.

Embora essas bactérias vivam em aves cruas, existem algumas maneiras de reduzir o risco ao ingerir estes alimentos. Você sempre deve certificar que as aves estão muito bem cozidas antes de comer, já que isso matará bactérias nocivas. Além disso, você não deve lavar o frango cru antes de cozinhar, pois isso irá simplesmente espalhar a bactéria ao redor da sua cozinha, contaminando outras coisas. Ao manusear aves cruas, é muito importante lavar e desinfetar tudo o que foi tocado pela carne crua – incluindo roupas, tábuas de corte, utensílios e especialmente suas mãos.

Frios

Frios são carnes altamente processadas, que incluem salsichas, presunto, bacon e salame. O armazenamento deles é muito importante, pois muitas vezes não são cozidos antes de serem consumidos.

A listeria e outras bactérias perigosas podem encontrar o caminho para a fábrica de processamento e contaminar as carnes depois de terem sido cozidas e antes de serem embaladas. É por isso que é realmente importante aquecer o bacon e as salsichas a 75 graus Celsius por pelo menos três minutos antes de consumir. Além disso, devem sempre ser armazenadas abaixo de 5 graus Celsius para reduzir o risco de crescimento bacteriano.

Todas as carnes possuem um alto risco de causar doenças relacionadas a alimentos se não estiverem preparadas e armazenadas adequadamente. Muitas pessoas preferem que a carne vermelha não seja completamente cozida, mas isso pode significar que o número de bactérias não esteja reduzido a um nível seguro. Aqueles que são suscetíveis a doenças, são aconselhados a garantir que todas as suas carnes sejam completamente cozidas – isso inclui crianças pequenas, grávidas e idosos.

Arroz

O arroz, um dos alimentos mais consumidos no planeta, é um alimento de alto risco quando se trata de intoxicação alimentar. Muitas vezes, pode ser contaminado com bacilo cereus, que pode infectar e viver em arroz não cozido como esporos. Em vez de se livrar dos esporos, o cozimento realmente os ativa e o arroz cozido e úmido é o ambiente perfeito para bactérias nocivas. Além disso, não armazenar adequadamente o arroz cozido é um dos maiores culpados de doenças transmitidas por alimentos no mundo.

Frutos do mar

Os frutos do mar são os mais sensíveis quando se trata de intoxicação alimentar. Tudo depende do tipo do alimento, se foi contaminado com uma toxina, bactérias ou outras substâncias prejudiciais, e também as condições em que o alimento foi mantido.

O peixe que não tenha sido armazenado na temperatura correta tem um risco muito alto de ser contaminado com histamina – uma toxina que pode causar intoxicação por Scombroide e não pode ser eliminada por temperaturas normais de cozimento.

Os mariscos também podem causar intoxicação alimentícia à medida que as algas em que vivem nas cascas produzem toxinas que podem se acumular níveis perigosos. As doenças alimentares mais comuns que essas toxinas podem causar incluem intoxicação neurotóxica, envenenamento paralítico e envenenamento amnésico. Cozinhar o marisco não reduzirá a toxicidade em níveis seguros, por isso é aconselhável evitar comer frutos do mar em alguns países subdesenvolvidos.

Frutas

Surpreendentemente, muitas frutas cruas têm um alto risco de causar intoxicação alimentar. A listeria pode crescer na casca de frutas e vegetais e pode causar intoxicação alimentar se consumida.

Os melões também têm um alto risco de causar intoxicação alimentar, pois muitas vezes não são lavados antes de serem comidos. Bactérias prejudiciais podem ser facilmente espalhadas entre frutas durante o processo da cadeia de suprimentos. Os ambientes que esses alimentos cultivam são um fator importante para seu status de alto risco. Eles geralmente são cultivados em condições quentes e úmidas, que são perfeitas para a criação de bactérias. Lavar cuidadosamente suas frutas e vegetais e armazená-las a uma temperatura adequada antes do consumo diminui o risco.

Fonte: http://www.tudoporemail.com.br/content.aspx?emailid=9822
Colaborador(a): Thereza Correa

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA