Logomarca Velhos Amigos
INFORMAÇÃO / FIQUE POR DENTRO

QUEDAS: ACIDENTES DOMÉSTICOS A SEREM EVITADOS
publicado em: 13/09/2018 por: Lou Micaldas

Quedas de idosos dentro de casa é um acidente importante. Para evitá-las, podemos tomar várias atitudes. Inclusive, simplificar a decoração de casa.

Evitar Quedas é dever de todos nós. Cair pode ser um acidente fatal para um Idoso.
Pode indicar o início do declínio das funções ou ser um sintoma de uma nova doença. Por isso, recomendamos que um médico seja consultado sempre que um idoso cair. Mesmo que aparentemente tenha se recuperado bem e rápido da queda.

No Brasil, estima-se que 30% dos idosos caem ao menos uma vez ao ano, sendo que a freqüência é maior entre as mulheres. As quedas são responsáveis por 70% das mortes acidentais de pessoas com mais de 75 anos no Brasil. Também é a 6a maior causa de morte em pessoas com 65 anos ou mais em nosso país. E, segundo o Ministério da Saúde, 2 em cada 3 casos de queda acontecem dentro de casa.

Em relação à idade, a frequência de quedas é maior entre os mais velhos:

  • entre 65 a 74 anos: frequência de 32%;
  • entre 75 a 84 anos: frequência de 35%;
  • 85 anos: a frequência aumenta para 51%

Estudos indicam que idosos de 75 a 84 anos que necessitam de ajuda nas atividades de vida diária (ou seja, não são independentes) tem uma probabilidade de cair 14 vezes maior que pessoas independentes da mesma idade. Portanto, este é outro motivo para manter-se forte e saudável através de uma alimentação correta e da prática regular de atividades físicas.

Mais de 2/3 daqueles que tem uma queda cairão novamente nos 6 meses subsequentes.

Como mencionado acima, mais de 70% das quedas ocorrem em casa. Pessoas que vivem sozinhas apresentam risco maior de cair.

Por isso, devemos prestar atenção e criar alguns hábitos de segurança. Já que fatores ambientais influenciam na probabilidade de queda. Ou seja, características da residência podem aumentar o risco de quedas, como:

  • Iluminação inadequada, ambientes escuros;
  • Superfícies escorregadias, pisos mais lisos ou constantemente molhados;
  • Tapetes soltos ou com dobras;
  • Escadas com degraus altos ou estreitos, ou ainda casas com degraus entre ambientes;
  • Obstáculos no caminho (como vasos, poltronas, etc);
  • Ausência de corrimão em corredores e barras de segurança banheiros;
  • Prateleiras excessivamente baixas ou altas;

Além disso, alguns cuidados pessoais também podem contribuir para o aumento do risco de quedas. Portanto, estes cuidados devem ser revistos. Um deles é em relação aos sapatos. Deve-se evitar saltos, sapatos com solas lisas, sapatos apertados. Sempre devemos dar preferência a solas anti-derrapantes e sapatos baixos e confortáveis. Roupas muito compridas também devem ser evitadas.

Como consequência das quedas, o paciente pode apresentar:

Fraturas (5%)
Ferimentos importantes (5% a 10%)
Impacto psicológico que podem levar à maior dependência ou contribuir para um quadro de depressão.
Fobia a quedas e insegurança de ficar sozinho.
Óbito.

Portanto, não espere mais: mesmo não sendo idoso, avalie a sua casa e faça as mudanças necessárias para evitar as quedas. Se você conhece a casa de algum idoso que mora em local com um ou mais dos fatores citados acima, ajude-o a fazer as mudanças necessárias.

Autor(a): Juliana Martinelli
Colaborador(a): Ana Maria Medeiros

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA