Logomarca Velhos Amigos
INFORMAÇÃO / GENTE EM FOCO

ALEXANDER FLEMING
publicado em: 23/03/2017 por: Lou Micaldas

 
Conheça a história do homem que descobriu a penicilina, o primeiro antibiótico no tratamento de infecções bacterianas que até o século XX eram fatais.
 
Fleming revolucionou a medicina dos antibióticos. Este fato possibilitou a descoberta de muitos outras drogas para o combate de diferentes tipos de bactérias. Com a descoberta da penicilina como medicamento, doenças como pneumonia, sífilis, gonorréia, febre reumática e tuberculose deixaram de ser fatais.

Nascido em Lochfield, Ayr na Escócia, Reino Unido, no dia 6 de Agosto de 1881. Era filho do jardineiro e morou em uma fazenda até os 16 anos de idade. Estudou na escola de medicina do Hospital Saint-Mary, em Londres. Lá conheceu Almroth Wright, pioneiro da vacinação e se apaixonou pelos seus estudos. Durante a Primeira Guerra Mundial Fleming estudou o poder dos leucócitos e princípios antibacterianos. Serviu como médico na Marinha e após a guerra foi nomeado bacteriologista do Hospital Saint-Mary.  
 
Em 1915, casou-se em Londres com Sally McElroy.

Em 1921, identificou e estudou a Lisozima, enzima que impede o crescimento de bactérias das secreções animais, saliva humana e albumina do ovo.
 
No ano de 1928 descobriu a penicilina que alguns, e até mesmo ele, dizem que por acaso.

Durante seu estudo e cultivo da bactéria Staphylococcus aureus, foi fazer uma viagem com a família. No retorno ao laboratório percebeu que havia crescido mofo na placa de cultivo, pois seu laboratório era um ambiente muito úmido, assim, favorável ao crescimento de fungos. Quando já ia limpá-la, Merlin Pryce, seu assistente, perguntou como estavam os estudos e ao observar novamente a placa enquanto explicava a Pryce, percebeu também que onde havia crescido fungos, as bactérias estavam mortas. Identificou o fungo como Penicilliumnotatum e nomeou a substância secretada, responsável por matar as bactérias como penicilina.

Como a substância era nociva ao corpo humano, podia ser usada como medicamento. Porém com a dificuldade de produção suficiente para o tratamento como antibiótico, somente em 1939 os cientistas Howard Florey e Ernest Chain retomaram a pesquisa e conseguiram produzir a penicilina em escala industrial.
 
Em 1945, Fleming, Florey e Chain ganharam o Nobel de medicina pelas suas pesquisas.

Em outubro de 1949 sua mulher morreu, e apenas o trabalho no laboratório o distraía, até que conheceu Amalia Voureka sua mais nova companheira de trabalho, com quem se casou em 1953 e permaneceu até sua morte no dia 11 de março de 1955 em Londres, por conta de um ataque cardíaco.

Graças à descoberta Alexander Fleming, muitas vidas foram e são salvas das infecções por bactérias, considerado um marco muito importante na evolução da indústria farmacêutica.

Autor(a): Gabriela Takeda, Projeto Academia de Ciência
Fonte: www.academiadeciencia.org.br/site/2013/01/30/alexander-fleming/

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA