Logomarca Velhos Amigos
INFORMAÇÃO / GENTE EM FOCO

ALTAMIRO CARRILHO
publicado em: 06/01/2016 por: Netty Macedo

(21/08/1924 -15/08/2012)

Nasceu em 21 de dezembro de 1924, em Santo Antônio de Pádua, no Estado do Rio de Janeiro, numa família de oito irmãos.

Sua vocação para música logo se evidenciou, quando aos 5 anos, sua brincadeira preferida eram as flautinhas de bambu que ele mesmo fabricava.

Aos 11 anos, sua trajetória musical já se mostrava definida, integrando a "Banda Lira de Arion", onde tocava Tarol, e também freqüentando assiduamente as apresentações de Dante Santoro e Benedito Lacerda, os maiores flautistas da época.

Sua veia artística era de família e veio do sangue de seus tetravós, bisavós, avós, tios e primos, por parte de mãe, quase todos músicos e maestros.

Aos 12 anos, comprou uma flauta de segunda mão e foi com ela que conquistou o primeiro lugar no "Programa de Calouros" de Ary Barroso.

Trabalhava de dia como farmacêutico, mas suas noites eram voltadas ao estudo de música com Joaquim Fernandes, que exerceu grande influência em sua carreira artística.

Com 28 anos, já comandava o programa "Em Tempo de Música", na extinta TV Tupi, em horário nobre e líder de audiência, durante dois anos seguidos.

Aos 30 anos, ganhou merecida fama quando gravou "Rio Antigo", famoso maxixe de sua autoria, dançado e aplaudido por todo o Brasil.

GANHANDO O MUNDO

Daí, para alcançar o mundo foi um pulo. De 1963 a 1969, conquistou a Europa em apresentações pela Itália, França, Portugal e Alemanha, onde foi aplaudido de pé na exibição do "Concerto de Mozart".

Na Inglaterra, gravou programas para a BBC e NBC de Londres. Também foram marcantes suas passagens pelo Líbano e Egito.

Um dos mais emocionantes e comovedores momentos de sua vida, foi quando tocou para centenas de soldados na faixa militar de Gaza.

Na União Soviética foi aclamado como um dos mais afinados solistas, elogiado pelo maestro Boris Trisno, que o considerou o "Melhor Solista de Flautim do Mundo". Viajou por quase meia centena de países elevando o nome do Brasil em suas gloriosas apresentações.

Foi ao México para fazer uma temporada de 20 dias e ficou um ano inteiro devido ao grande sucesso.

Nos Estados Unidos, convidado pelo Cônsul brasileiro em Los Angeles, participou de festejos em homenagem ao Brasil, na Universidade de Tucson.

Altamiro Carrilho sempre foi conhecido e aclamado, internacionalmente, como um dos maiores flautistas da música popular, mas seu grande sonho seria apresentar música erudita.

E foi em 1992, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, que ele realizou o seu sonho em grande estilo, executando o Concerto em Sol de Mozart, merecendo elogios de toda a crítica especializada.

CORAGEM PARA INOVAR

Em Porto Alegre, no ano de 1976, mostrou toda a sua capacidade de inovar quando apresentou o Concerto Nº 2 em Ré Maior KV 314 de Mozart, intercalando pequenos trechos das mais populares músicas de Pixinguinha e Nazareth, entre outros, arrancando aplausos de pé de toda a platéia, dos músicos e do Maestro Júlio Medaglia da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre.

Este fato foi considerado inédito em apresentações de música erudita, apresentada por grandes orquestras, e repercutiu em estrondoso sucesso, atravessando as fronteiras e ecoando internacionalmente.

Em 1980, recebeu o Troféu "Villa Lobos" pelo disco "Clássicos em Choro Nº 1". Pouco tempo depois, veio o "Disco de Ouro" pelo seu trabalho "Clássicos em Choro Nº2".

Em 1993, ganhou o "Prêmio Sharp de Música", na categoria instrumental, como melhor arranjador em "Altamiro Carrilho - 50 Anos de Choro".

Em 1997, voltou a conquistar o Prêmio Sharp com seu CD "Flauta Maravilhosa."

No ano de 1998 deu sua valiosa contribuição didática, em forma de CD, gravando "Chorinhos Didáticos", com as partituras musicais anexas, para que os alunos de música pudessem aprender lendo e, ao mesmo tempo, ouvindo as músicas tocadas em "playback".

Neste mesmo ano, Altamiro Carrilho recebeu do Presidente Fernando Henrique Cardoso a Comanda Especial em reconhecimento pelo seu inestimável trabalho de divulgação e consagração da Música Popular Brasileira.

Mas o incansável Altamiro, do alto dos seus 75 anos, com 56 de carreira e mais de 100 discos, fitas e CDs gravados, não quer saber de deitar na fama, sua estrela continua subindo e vai brilhar na Exposição Mundial de Hannover.

De volta ao Brasil, já tinha agendado o show "Altamiro In Concert", cuja estréia será no Teatro Municipal de São Paulo, no dia 15 de Julho de 2000, em única apresentação.

Seu atual conjunto, formado por cavaquinho, pandeiro e violão de 7 cordas, continuará percorrendo o país e apresentando os grandes clássicos do chorinho como Brasileirinho, Rosa, Assanhado, Carinhoso e muitos outros sucessos inesquecíveis de seu repertório.

Em, abril de 2000

Autor(a): Maria de Lourdes Micaldas

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA