Logomarca Velhos Amigos
INFORMAÇÃO / GENTE EM FOCO

RAUL DE BARROS
publicado em: 14/11/2016 por: Lou Micaldas

Nascimento: 25/11/1915
Falecimento: 08/06/2009  

Raul de Barros, músico, compositor, maestro, instrumentista e trombonista, nasceu no Rio de Janeiro, em 25 de novembro de 1915. Autor do famoso choro "Glória", foi o maior trombonista brasileiro.

Iniciou seus estudos musicais nos anos de 1930, tendo aulas com Ivo Coutinho. Em 1935, galgou a carreira de músico tocando em clubes de bairros e subúrbios do Rio de Janeiro. Ele chegou à Rádio Tupi após conhecer o maestro Carioca. No início da década de 1940, o maestro passou a acompanhar cantores em gravações e excursionou por Montevidéu, Uruguai.

Transferiu-se, em seguida, para a Rádio Globo, onde formou sua própria orquestra, tocando no programa "Trem da Alegria". Foi num concurso promovido pelo crítico Ary Vasconcelos, na revista "O Cruzeiro", que Raul de Barros foi eleito o melhor trombonista de 1955.

Onze anos depois, ele fez parte da delegação brasileira no Festival de Arte Negra de Dacar, Senegal, ao lado de Clementina de Jesus, Ataulfo Alves, Paulinho da Viola e Elton Medeiros, entre outros. Em 2004, o maestro voltou a se apresentar em shows com o arranjador Rildo Hora, na casa de espetáculos "Carioca da Gema", na Lapa, no Centro do Rio.

Um dia, quando menino, Raul parou numa vitrine na esquina da Rua Ouvidor com Gonçalves Dias, no centro do Rio. Ouvia atentamente o som que vinha da loja, quando o dono se aproximou e lhe perguntou se tocava algum instrumento. Ele respondeu que apenas gostava de música. A experiência com instrumentos e a intuição do dono da loja fizeram com que insistisse com o menino para soprar um trombone. Sua intuição estava certa: Raul soprou logo um si bemol e mostrou, naquele momento, o grande músico que se tornaria mais tarde.

HOMENAGEADO AOS 90 ANOS NA RÁDIO NACIONAL

Em 2006, homenageado no programa “Palco Iluminado”, Raul de Barros, mesmo com 90 anos, mostrou que o tempo não mudou em nada o seu fôlego e muito menos o talento. Raul deu um show: ao mesmo tempo em que tocava o trombone, o maestro não deixou de orientar os seus músicos. Emocionou a todos. Ele ainda contou aos presentes porque a sua energia é tanta. Ela vem de berço: o artista é filho de pai índio e mãe escrava.

Autor do famoso choro "Na Glória", em solo de trombone, e co-autor da inesquecível "Pra Frente Brasil", com Miguel Gustavo, Raul era a alegria em pessoa. Afirmou que sua apresentação também foi uma homenagem ao seu passado na casa, pois já trabalhou na Rádio Nacional e tem muitas saudades dos bons tempos em que tocava naquele palco.

Raul de Barros atuou ao lado de Ary Barroso, Pixinguinha, Radamés Gnatalli e todos os grandes nomes de nossa música. Sua orquestra animou, por muitos anos, as festas do Copacabana Palace. Convidado pelo então presidente Juscelino Kubitschek, tocou na inauguração da cidade de Brasília, em 1960.

Parabéns, grande Raul de Barros, pela vida iluminada!

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA