Logomarca Velhos Amigos
INFORMAÇÃO / GENTE EM FOCO

SÉRGIO BERNARDES
publicado em: 22/08/2018 por: Lou Micaldas

Sérgio Wladimir Bernardes (Rio de Janeiro RJ 1919 - idem 2002). Arquiteto, urbanista, designer.

O interesse de Bernardes pela arquitetura é precoce.

Casa Eduardo Bahout, 1934, o seu primeiro projeto, é construída cinco anos antes de seu ingresso na Faculdade Nacional de Arquitetura - FNA, onde se forma em 1948.

Funda o escritório Sérgio Bernardes Associados - SBA, em que desenvolve projetos de arquitetura e design, alguns deles premiados como a Casa Jadir de Souza, 1951/1952, 1º prêmio de habitação na Trienal de Veneza, em 1954; a Casa Lota Macedo Soares, 1953/1956, Prêmio Jovem Arquiteto Brasileiro na 2ª Bienal do Museu de Arte Moderna de São Paulo - MAM/SP, 1954; o Pavilhão do Brasil na Feira Mundial da Bélgica, Prêmio Estrela de Ouro na Feira Internacional de Bruxelas, em 1958.

Em 1979 cria o Laboratório de Investigações Conceituais - LIC, uma entidade sem fins lucrativos dedicada à pesquisa e formulação de planos urbano-territoriais, cujo objetivo, nas palavras do arquiteto, é "ser um núcleo de pensamento que intervenha na realidade atual e sugira que o Homem pode se organizar melhor no espaço, harmonizando trabalho, circulação, habitação e lazer, condições elementares de seu bem estar". 

Além das atividades no SBA e LIC, Bernardes trabalha em órgãos públicos, é chefe do Setor de Arquitetura da Campanha Nacional contra a Tuberculose - CNCT, entre 1949 e 1959, quando projeta o Sanatório de Curicica, 1949/1951, em Jacarepaguá; assessor da Secretaria de Obras do Governo do Estado da Guanabara, de 1960 a 1965, durante a gestão de Carlos Lacerda (1914 - 1977); e secretário de planejamento e coordenador-geral da Prefeitura de Nova Iguaçu, em 1984.

Candidata-se à Prefeitura do Rio de Janeiro em 1985. Obtém a sala hors concurs na 6ª Bienal Internacional de São Paulo em 1963. Vinte anos depois realiza uma exposição retrospectiva de sua obra no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ, organizada por Lauro Cavalcanti. Parte de seu acervo encontra-se na Fundação Oscar Niemeyer no Rio de Janeiro.

Autor(a): Pesquisa em diversos Sites
Colaborador(a): Ramon Medeiros

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA