Logomarca Velhos Amigos
INFORMAÇÃO / HORA DA MÚSICA

NOEL ROSA
publicado em: 17/04/2018 por: Lou Micaldas

Talvez ele não quisesse nascer, mas nasceu em 11 de dezembro de 1910, em Vila Isabel, na cidade do Rio de Janeiro.

Além do problema no queixo tinha a voz fanhosa, o que também não o impediu de cantar e ser o sambista de maior sucesso de sua época no Rio. Foi arrancado a fórceps, no parto, causando-lhe o afundamento do maxilar inferior e paralisação do lado direito do rosto. Por ter muita dificuldade pra mastigar, se tornou um menino magro e fraquinho.

O bullying nos colégios não é novidade, não uma coisa dos tempos atuais, naquele tempo já existiam crianças cruéis que logo o apelidaram de "Queixinho". Mas ele não aparentou qualquer tipo de trauma. Toda a sua sensiblidade parece ter sido canalizada para a poesia, a música e o violão. Compôs os mais lindos poemas musicais e as mais divertidas e debochadas músicas de Carnaval. Morreu em 5 de maio de 1937.

"Com que roupa eu vou ao samba que você me convidou?"

Foi assim que em fins de 1929 a mãe de Noel, bastante preocupada com a saúde do filho boêmio, escondia sua roupa para que ele ficasse em casa. Instado pelo companheiros a participar dos bailes e farras, não lhe faltou a inspiração para compor: "Com que roupa eu vou ao samba que você me convidou?"

Esse samba, gravado para o carnaval de 1931, foi um de seus maiores sucessos. 
Nascido e criado em Vila Isabel, bairro classe-média do Rio de Janeiro e imortalizado em suas músicas, aos quinze anos Noel já dominava o bandolim, que aprendera a tocar com a mãe, mas logo fez do violão o seu companheiro ideal.

Abandonar a medicina - a carreira do avô e o sonho dos pais - e seguir a música também não foi a mais difícil de suas opções.

Desde os tempos de escola, Noel Rosa já produzia seus sambas repletos de trocadilhos, e apesar de sua voz fraca, o "Gago Apaixonado" agradava ao público em suas apresentações: "Mu...mu...mulher em mim fi...fizeste um estrago / Eu de nervoso esto...tou fi...ficando gago".

O ingresso no rádio na década de 30 o apresentou aos famosos artistas e compositores da época e inúmeras parcerias foram surgindo com Ismael Silva, Francisco Alves, Heitor dos Prazeres, Orestes Barbosa, André Filho, Hervê Cordovil, Lamartine Babo, João de Barro. Seu maior e mais popular parceiro foi Vadico.

Essa dupla assinou "Feitio de Oração", "Feitiço da Vila", "Lenço no Pescoço", "Palpite infeliz", "Conversa de Botequim", e mais alguns sambas conhecidos.

Sempre retratando seus dias de forma alegre e musical. Mas Noel Rosa também era um ótimo letrista e "Até amanhã" é cantado até hoje.

Teve uma vida curta, mas intensamente produtiva, deixando um vasto arsenal musical. Sua saúde debilitada por seu modo relaxado e informal de viver também serviu de tema para seu último samba, em 1927, "Eu sei sofrer".

Sua música foi redescoberta por volta de 1940 na voz de Aracy de Almeida, sua intérprete por excelência.

Dos cantores de hoje, a maior homenagem lhe é prestada por Maria Bethânia que sempre inclui Noel Rosa em seus shows e gravações. "Feitiço da Vila" e "Feitio de Oração" tornaram-se clássicos da música popular brasileira.

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA