Logomarca Velhos Amigos
INTERAÇÃO / NOSSAS CRIANÇAS

QUAL A HORA DE COLOCAR APARELHOS ORTODÔNTICOS NAS CRIANÇAS?
publicado em: 24/01/2019 por: Lou Micaldas

Normalmente os pais só buscam tratamento quando observam alguma alteração na posição dos dentes

Crianças também podem e devem realizar tratamentos com aparelhos ortodônticos. Atualmente, com os recursos disponíveis na Ortopedia Funcional de Maxilares, é possível fazer uso de aparelhos removíveis que se apoiam no céu da boca e gengiva e podem ser utilizados em crianças com dentes de leite ou em fase de trocas dentárias.

Eles podem ser lúdicos, coloridos e com os personagens que as crianças gostam para motivação do tratamento. Diferentemente dos aparelhos ortodônticos fixos, com os bráquetes, que só podem ser colados em dentes permanentes, os aparelhos ortopédicos funcionais não precisam aguardar que os dentes permanentes estejam erupcionados. Portanto, tão logo a criança tenha maturidade para o uso de um aparelho removível, o tratamento poderá ser iniciado, que pode já ocorrer por volta dos cinco anos de idade

Outra técnica utilizada na Ortopedia Funcional dos Maxilares, é a confecção de Pistas Diretas Planas, que consiste no acréscimo de resinas compostas que ficam aderidas sobre os dentes de leite modificando seus formatos para que ocorra o correto contato entre os dentes superiores com os inferiores. As Pistas Diretas podem ser feitas mais precocemente ainda, por volta dos dois ou três anos de idade, dependendo das alterações encontradas na oclusão, pois é uma técnica de simples execução e não depende da colaboração da criança quanto os uso e cuidados com um aparelho.

Quando visitar o ortodontista?
Os pais devem buscar uma avaliação de um especialista o mais precoce possível, para que este indique o tratamento, caso necessário. É importante que o paciente seja tratado de forma multidisciplinar, devendo muitas vezes ser encaminhados também para outros profissionais como médico otorrino, fonoaudiólogos ou fisioterapeutas.

Normalmente, os pais só buscam algum tratamento quando observam alguma alteração em posição de dentes, falta de espaço para os dentes ou quando eles erupcionam fora de lugar, sendo muitas vezes uma questão estética. No entanto, na maioria das vezes, o problema nessa fase já está instalado e pode ser mais difícil de ser revertido.

Em muitos casos, "dentes tortos" estão longe de ser o principal indício da necessidade do tratamento ortodôntico ou ortopédico, e somente um profissional consegue identificar o problema. Por isso toda a oclusão deve ser considera, ou seja, a relação da arcada superior com a inferior, encaixe dos dentes e formato de toda a arcada. Outros fatores, como perfil facial, padrão de crescimento facial, as estruturas das articulações têmporo-mandibulares, os movimentos da mandíbula, padrão de deglutição, musculatura da face, lábios e língua também devem ser avaliados.

Importância da avaliação precoce
A avaliação precoce também é importante para detectar a existência de alguns fatores que podem influenciar e causar alterações no crescimento e no desenvolvimento das estruturas da face. Portanto, serão observadas além da fala, respiração e deglutição, a existência de hábitos deletérios como sucção de dedos e o uso de chupetas e mamadeiras, onicofagia (roer unhas), morder objetos etc.

Por esses fatores, deve-se levar em conta o ponto de vista funcional e não somente o estético, pois o tratamento deve proporcionar o equilíbrio no desenvolvimento das estruturas orais responsáveis pela mastigação, fala e respiração. Assim, a criança estará apta a mastigar bem, se beneficiando de alimentos saudáveis, falar corretamente, tendo um bom rendimento escolar e respirar bem, diminuindo riscos de doenças respiratórias e com uma boa qualidade de sono. Dessa forma o tratamento irá contribuir para uma melhor qualidade de vida para a criança como um todo e não somente "desentortar os dentes".

É importante que os pais tenham em mente que quanto mais rápido for o diagnóstico e a intervenção, melhor será a resposta do tratamento e a correção, evitando alterações nas arcadas e na face, diminuindo as necessidades de extrações dentárias e até mesmo o número de casos com indicação cirúrgica.

Autor(a): Fabiola Bernardeli Lanfredi - Odontologia - CRO 84547SP
Fonte: Site Minha Vida
Colaborador(a): Denise Carvalho

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA