Logomarca Velhos Amigos
INTERAÇÃO / NOSSAS VIDAS

MINHA VIDA...
publicado em: 21/12/2015 por: Netty Macedo

Queridíssima Lou,
Fico muito feliz por ter a oportunidade de falar sobre a minha pessoa. Você é muito gentil por me permitir isso.

Eu nasci em uma cidade muito linda, no norte da Italia, pertinho da Suiça e dos Alpes do Trentino, o seu nome é "Salò do Lago de Garda"; é o lago maior da Italia. A minha familia, muito honrada mas humilde, como toda gente daqui, daquela época. Eu, terceira filha de sete, era muito calma, enamorada do papai Carlo do vó Pino. Cresci com seis irmãos homens, a mamãe era muito severa, e isso me fazia sofrer. Com 14 anos perdi meu amor, o papai. Aos18, conheci meu primeiro marido, 20 anos mais velho. Fomos morar em Brescia, também na Lombardia, e tivemos 2 filhos. Pouco tempo depois, a irmã dele, que já morava em SP, convidou-nos a ir para o Brasil. Partimos de Gênova com o navio Conte Biancamano.

Ali, tivemos sorte, ele ganhou muito dinheiro mesmo; abriu uma firma de cartões postais, que chamava Italbras, porém não agüentou a boa sorte. Começou a sair com mulheres, teve muitas.
Eu sofria, mas queria segurar minha familia. Aí acompanhei algumas senhoras kardecistas, e demos assistência às pessoas necessitadas. Isso contribuiu para minha segurança interior. Anos depois ele faleceu, em Curitiba, de infarto do miocárdio. Fui buscá-lo, sepultando-o no Cemitério do Morumbi.

Dois anos depois casei-me de novo, apaixonadíssima, com um lindo homem de Ihéus, mais novo 6 anos, pensando também em salvar alguma coisa do pouco que restou. Mas não deu, e não durou muito também o amor. Fiquei um pouco ainda no Brasil, conheço muito dele, e o amo apesar de tudo isso.

Sabe querida, acho que sou uma mulher afortunada mesmo, porque vivi em um país maravilhoso de gente cheia de coragem, batalhadora, com garra. Isto também aprendi aí. Também conheci o amor, no sentido mais místico da palavra, que me amadureceu, me fortaleceu. Vivi com todo tipo de ser humano, de toda cor, religião e posição social, por isso me sinto rica por dentro, com uma imensa fé NELE, que é a minha razão de ser.

Como já disse, sou muito feliz neste momento da minha vida.
Quando acordo de manhã, agradeço à vida, saio no terraço para ver minhas flores - que são lindas - e entro para tomar meu café com Deus.

Agora, entrei em contato com os "velhosamigos"  com a esperança de encontrar alguém com quem conversar, não por solidão mas por companherismo e saudade do meu Brasil, segunda pátria.
" Amore mio, nao se enfastie com tanto blablabla. Ti voljo bene dindina sii felice, e rispondimi. Ciao".

Autora: Dindina

Autor(a): Dindina

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA