Logomarca Velhos Amigos
INTERAÇÃO / NOSSAS VIDAS

QUEM SOU EU, QUE VIDA LEVEI?
publicado em: 21/12/2015 por: Netty Macedo

Já que me cadastrei no site Velhos Amigos achei por bem deixar também meu relato na página "Nossas Vidas".
Mas, aí fiquei matutando o que dizer de mim depois de ler relatos pessoais tão importantes, de gente tão maravilhosa.
Afinal, quem sou eu, que vida levei?

Bem, eu sou um homem de 58 anos que acorda todos os dias, abre a janela, aspira fundo, enche os pulmões de ar e solta um entusiasmado: Bom dia! Faça chuva ou faça sol, seja no tempo ou no próprio coração.
Alguém que freqüentou várias escolas, mas que na realidade colheu os melhores ensinamentos na UNIVERSIDADE DA VIDA.
Eu sou um homem que soube ser criança, bateu peladas, jogou bola de gude, brincou de roda e cabra cega, soltou pipa, andou de carona em carro de boi, nadou pelado nos rios e deitou-se à noite no gramado do jardim para contar as estrelas.
Alguém que viveu a juventude como ninguém, beijou no escurinho do cinema, passeou de mãos dadas pra todos os lados, andou de roda gigante, montanha russa e trem fantasma. Urinou no coreto da igreja, dançou até ficar de pés inchados, fez serenatas sob o luar e voltou a pé pra casa, depois das baladas, em alegre assobiar.
Amaldiçoei durante dez meses por estar servindo ao Exército Brasileiro e agradeço todos os dias, nestes últimos 456 meses, por ter passado por lá. Foi a melhor sala de aula que freqüentei.

Eu sou um homem que chorou nas emoções, fossem de alegrias ou tristezas, já riu de sentir dores nos rins, sempre trouxe no rosto a luminosidade do sorriso e deixou seu riso no ar por todos os lugares onde pôde passar.
Plantei uma árvore aos 5 anos de idade, tive duas filhas maravilhosas aos 25 e aos 31, escrevi o meu livro às 54 primaveras.
Li inúmeros livros, ouvi milhares de canções, admirei poesias e poemas aos milhões, fiz amigos por todos os cantos, conquistei muitos corações.

Cheguei até aqui trazendo na bagagem incontáveis emoções, abençoando a vida que considero um processo maravilhoso, perguntando onde anda a tão malfadada, apregoada e temida velhice, pois a minha tem sido farta de sabores, alegrias e contentamentos, um dos meus maiores momentos, repleta de sublimações e encantamentos.

Ah! Eu cursei faculdade de economia, trabalhei como empregado e autônomo, sou aposentado, divorciado e moro em Belo Horizonte, um doce recanto de majestoso alvorecer e inebriante entardecer, um dos lugares mais lindos de se viver.

É isso aí, Lou, a minha vida. Beijos e abraços.

Autor(a): Nei

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA