Logomarca Velhos Amigos
INFORMAÇÃO / QUE SAUDADE

A VIDA DE COCO CHANEL
publicado em: 10/03/2017 por: Lou Micaldas

Gabrielle Bonheur Chanel, que ficou famosa como Coco Chanel, nasceu em Saumur, no ano de 1883, e faleceu em 1971, no Hotel Ritz, onde viveu por anos.

A família de Gabrielle era numerosa: tinha quatro irmãos (dois meninos e duas meninas). O pai, Albert Chanel, era caixeiro-viajante e a mãe, Jeanne Devolle, era doméstica. Depois da morte precoce da mãe, que faleceu de tuberculose, o pai de Chanel ficou com a responsabilidade de tomar conta das crianças. Devido à profissão de seu pai, Coco e as irmãs foram educadas num colégio interno, enquanto que os irmãos foram trabalhar numa quinta. Em 1903, com vinte anos, Gabrielle saiu do colégio e tentou procurar emprego na área do comércio e da dança (como bailarina) e também fez tentativas no teatro, mas não obteve êxito.

Com vinte e cinco anos, Chanel conheceu um rico comerciante de tecidos, chamado Etienne Balsan, com quem passou a viver. Por volta de 1910, na capital parisiense, Coco conheceu o grande amor da sua vida: o milionário inglês Arthur Boyle. Boyle ajudou-a a abrir a sua primeira loja de chapéus. A loja Chanel iria tornar-se num sucesso e apareceria nas revistas de moda mais famosas de Paris. Com este relacionamento, Chanel aprendeu a frequentar o meio sofisticado da Cidade Luz.

Algum tempo depois, Boyle acabou a relação com Gabrielle para se casar com uma inglesa e meses mais tarde morreu num desastre de carro. Com este desgosto, Chanel abriu a primeira casa de costura, comercializando também chapéus. Nessa mesma casa, começou a vender roupas desportivas para ir à praia e para montar a cavalo. Pioneira, também inventou as primeiras calças femininas.

No início dos anos 20, Chanel conheceu e apaixonou-se por um príncipe russo pobre, Dmitri Pavlovich, que tinha fugido com a sua família da Rússia, então União Soviética. A sua relação com Pavlovich a fez desenhar roupas com bordados do folclore russo e, para isso, contratou 20 bordadeiras. Neste período, Chanel conheceu muitos artistas importantes, tais como Pablo Picasso, Luchino Visconti e Greta Garbo. Suas roupas vestiram as grandes atrizes de Hollywood, e seu estilo ditava moda em todo o mundo. Além de confecções próprias, desenvolveu perfumes com sua marca. Os seus tailleurs são referência até hoje.
 
 
Em 1921, criou o perfume que a iria converter numa grande celebridade por todo mundo, o nº5. O nome referia-se ao seu algarismo da sorte. Depois deste perfume, veio o nº17, mas este não teve o mesmo êxito que o nº5.
Durante a Segunda Guerra Mundial, Chanel chegou a trabalhar como enfermeira, uma vez que os negócios de moda estavam em baixa. Nessa época, Chanel fechou sua casa e envolveu-se amorosamente com um oficial nazista, o que lhe custou o exílio.

As bolsas penduradas nos ombros com alças de corrente dourada, tailleurs, o eterno colar de pérolas e vestidos pretos representam as principais caracteristicas de seu estilo cna história da moda.
O perfume, Chanel nº 5 - famoso no mundo -, que a tornou milionária.
 
O perfume foi criado em 1921 por Ernest Beaux a pedido de Gabrielle Chanel, que sugeriu: "Um perfume de mulher com cheiro de mulher". Dentro de um frasco art déco - que foi incorporado à coleção permanente do Museu de Arte Moderna de Nova York em 1959 -, o Chanel nº 5 foi o primeiro perfume sintético a levar o nome de um estilista.
 

Em 1954 voltou a Paris e retomou seus negócios na alta costura. No final da guerra, os franceses conceituaram este romance mal e deixaram de frequentar a sua casa. Naquela década, Chanel teve dificuldades financeiras para manter a casa aberta e começou a vender suas roupas para o outro lado do Atlântico, passando a residir na Suíça.

Devido à morte do ex-presidente norte-americano John Kennedy e à admiração da ex-primeira-dama Jackie Kennedy por Chanel, ela começou a aparecer nas revistas de moda com a criação dos seus tailleurs, casacos e sapatos. Depois voltou a residir na França. Sua roupas vestiram as grandes atrizes de Hollywood, e seu estilo ditava moda em todo o mundo. Além de confecções próprias, desenvolveu perfumes com sua marca. Os seus tailleurs são referência até hoje.

Faleceu no Hôtel Ritz Paris em 1971, onde viveu por anos. O seu funeral foi assistido por centenas de pessoas que levaram as suas roupas em sinal de homenagem.
 
FRASES INESQUECÍVEIS
 
"Não há tempo para a monotonia do previsível. Há tempo para o trabalho. E tempo para o amor. Isso toma todo o tempo."
 
"Já que tudo está na nossa cabeça, é melhor não perdê-la."
 
"Eu não entendo como uma mulher pode sair de casa sem se arrumar um pouco, mesmo que por delicadeza. Depois, nunca se sabe, talvez seja o dia em que ela tem um encontro com o destino. E é melhor estar tão bonita quanto for possível para o destino."
 
"Elegância é quando o interior é tão belo quanto o exterior."
 
"Podemos nos acostumar com a feiúra, mas nunca com a negligência."
 
"Para ser insubstituível, você precisa ser diferente."
 
"O preto domina tudo. Assim como o branco. Eles são beleza absoluta. São a harmonia perfeita. Coloque uma mulher de preto num salão de baile e todos os olhos estarão nela."
 
"Luxo é ter uma roupa bem feita. O luxo precisa ser confortável, senão não é luxo."
 
"Aos 20 anos, seu rosto é dado a você pela natureza. Aos 30, seu rosto é moldado pela vida. Mas aos 50, cabe a você merecê-lo."
 
"Quando as pessoas perguntam minha idade, eu digo: Depois dos 50, depende do dia."
 
"Eu já não sou o que era: devo ser o que me tornei."
 
"Onde uma mulher deve usar perfume? perguntou-me uma moça. Onde ela quiser ser beijada, eu respondi."

"A moda não é algo presente apenas nas roupas. A moda está no céu, nas ruas, a moda tem a ver com idéias, a forma como vivemos, o que está acontecendo."
 
"O luxo não é o oposto da pobreza, mas da vulgaridade."
 
"Uma mulher vestida de claro raramente fica de mau-humor."

 

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA