Logomarca Velhos Amigos

VAMOS RETARDAR A VELHICE 
publicado em: 13/12/2017 por: Lou Micaldas

O que nos é proibido? Tristeza!

Se podemos acelerar o envelhecimento, logicamente podemos retardá-lo. É a rampa onde uns deslizam suavemente, obedecendo ao ritmo natural do tempo, mantendo o aspecto vigoroso, sadio, disposto, onde transparece a alegria de viver, ao contrário de outros, que se precipitam numa velhice precoce, aparentando muitos anos mais que a idade real.

Mas, como retardar a velhice?

Não há de ser negando-a, combatendo-a, revoltando-nos contra o inevitável, mas aceitando-a, desfrutando-a como uma das fases naturais da vida que, só por ser a última, não há de ser forçosamente a mais infeliz.

A marcha do tempo, ninguém pode detê-la. Diante do inevitável, há três atitudes a tomar: fugir, debater-se ou adaptar-se. 

Qualquer pessoa pode ver qual a mais inteligente. Fugir é impossível, o tempo é inexorável em sua marcha. Debatermo-nos é gasto inútil de tempo, e de forças e energias. Adaptarmo-nos às circunstâncias, quando não pudermos adaptá-las a nós, é a sábia atitude. 

O que não podemos realmente é estragar a fase de maior duração de nossa vida devido a falsos conceitos. Viver a vida como ela é. O mundo muda, renova-se a cada instante; renove-se você também. 

Não queira ser estátua. Cada dia é um novo dia para novas experiências. Devemos buscar soluções novas para novos problemas. Problemas e conflitos são de todas as idades, mas na idade madura e na velhice somos mais aptos a resolvê-los, pois já adquirimos a velha experiência e a mente mais esclarecida. 

Consideremos nossa idade uma honraria. Cada dia uma medalha, cada ano um troféu. Precisamos nos convencer disso e convencer os outros também. É necessário descondicionarmo-nos, exorcismar o nosso medo de envelhecer, que é o que mais envelhece.

Bertrand Russel dizia: "À medida que o tempo passa, mais aumenta o gosto de viver." A nostalgia da mocidade aumenta o medo, a raiva, o desgosto, que sobem à face, cavando rugas. 

É no psiquismo que devemos atuar. As forças negativas, como a tristeza e a raiva, aceleram o processo do envelhecimento. Vamos extirpá-las. A consciência íntima de que "velhos são assim mesmo" é que faz os velhos "assim mesmo". Carneirada? Só de longe em longe surge um "carneiro" subversivo, que escandaliza o rebanho. Este é o bom.

Vamos retardar a velhice, andando de queixo erguido, que ergue o moral. 

Não olhemos para trás, para não perder a perspectiva que temos à frente. 

Amemos a vida, esse precioso bem, e lembremo-nos de que a vida, generosamente, nos dá mais vida. 

Cuidemos do corpo e da mente para que eles nos retribuam em bem-estar, que é a base da felicidade. 

Não olhemos para os jovens com inveja; eles também choram. Aliás, jovem nós já fomos.

Devemos ter orgulho de nossa idade, e tanto mais orgulho quando mais avançada for, pois teremos cumprido nosso roteiro gozando tempo integral, como seres humanos, que atingiram o ápice de uma escalada que não é dado a todos atingirem. E então nossa atitude só poderá ser a de um vitorioso. 

Psicólogos são unânimes em afirmar que a inteligência do indivíduo reflete sua capacidade de adaptação ao meio físico e social. 

Sejamos inteligentes. Murros em ponta de faca? Sai sangue e dói.
Digamos aos jovens: vivam a sua maneira, que viveremos à nossa. Mas digamos isso com simpatia, sem azedumes e despeito. Digamos para eles, e não contra eles. Digamos apenas que as idades marcam interesses diferentes, e tracemos nossos planos.

O que nos é proibido? Tristeza!

REJUVENESCER

O rejuvenescimento não existe cientificamente em termos médico-farmacológicos. Porém, do ponto de vista psicológico, constatamos frequentemente como certos indivíduos remoçam, aparentando dez anos menos que sua idade cronológica, quando mudam hábitos e corrigem erros de uma vida inadequada à felicidade. 

A magia de um feliz acontecimento, uma atividade prazenteira, o cultivo de uma arte, a realização pessoal, um novo amor, e eis que o indivíduo nos surpreende com sua aparência totalmente remoçada. Não está nos potes, nos frascos, nas ampolas; não é pílula, nem são gotas milagrosas, mas reflete-se na postura, na voz, no brilho dos olhos, no sorriso, no dinamismo, na desenvoltura, no "élan" vital. 

E o que é isso, então? Isso chama-se alegria de viver. Chama-se amor à vida.

Ora bem, se sabemos que desgosto envelhece e mata, podemos crer que o gosto conserva a vitalidade e prolonga a vida.

Vamos, diga NÃO à velhice triste, e você verá como seu rosto resplandece. Cultive o entusiasmo ao longo de toda a vida. Entusiasmo que é luz interior.

Sabe você o que é entusiasmo? A palavra é formada no grego, cujos os elementos são: en, que quer dizer dentro de, e theos, que quer dizer Deus. Sua formação tem o belo significado - Deus dentro. Deus que é sopro divino, inspiração, alma. 

E então nós devemos cantar com Roberto Carlos: "Obrigado, Senhor por mais um dia!..."

Magdalena Léa
Poetisa e escritora, autora do livro 
"Quem tem Medo de Envelhecer?"

Autor(a): Magdalena Léa

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA