Logomarca Velhos Amigos
INFORMAÇÃO / REPORTAGENS

LA MARSEILLAISE  - HINO DA FRANÇA
publicado em: 17/02/2017 por: Lou Micaldas

(Legendado - português/francês)

Algumas canções identificam imediatamente o momento histórico que a produziram. Pensando assim é impossível dissociar a “Marselhesa” da Revolução Francesa. Talvez o Hino Francês seja a canção nacional mais famosa do mundo. Mas por que alcançou tanta fama? Por que é tão importante?

Em primeiro lugar, deve-se destacar a importância da Revolução Francesa ocorrida. Ela não derrubou apenas o rei, mas todo um sistema político, econômico e social conhecido como "Antigo Regime. Certo" que houve outras revoluções antes da ocorrida na França a partir de 1789, mas nenhuma foi tão radical, tão popular e teve consequências tão grandes. Ou seja: a Revolução Francesa pode ser considerada “A REVOLUÇÃO”, inauguradora de toda a Idade Contemporânea e da configuração de uma nova sociedade.

O Hino Francês é de 1792, ano de intensas agitações. Além da implementação da República Jacobina, ou Convenção Nacional, foi quando se iniciou a guerra. A França entrou em conflito com os seus vizinhos que pretendiam acabar com a Revolução, ao mesmo tempo em que o rei tentava retomar o poder que lhe fora subtraído pela Assembleia Constituinte.

Envolvida em uma guerra interna, contra a própria monarquia francesa; e externa, contra as demais monarquias, a nova Nação Francesa se viu envolvida no contexto de uma “guerra total”. De todos os cantos da França vinham batalhões para Paris, a fim de protestar contra o rei e lutar pela persistência da nova Nação. Foi nesse ínterim que surgiu a “A Marselhesa”. Trazida por soldados vindos de Marselha, foi elaborada no “calor da hora”, para motivar a população francesa a participar da batalha.
Notem como a letra fala em lutas:
 
La Marseillaise
Allons, enfants de la Patrie,
Le jour de gloire est arrivé!
Contre nous de la tyrannie,
L'étendard sanglant est levé, (bis)
Entendez-vous dans les nos campagnes
Mugir ces féroces soldats?
Ils viennent jusque dans vos nos Brás
Égorger vos nos fils et vos nos compagnes!
Aux armes, citoyens
Formez vos bataillons
Marchons, marchons!
Qu'un sang impur
Abreuve nos sillons!
 
A Marselhesa
Avante, filhos da Pátria
O dia da glória vos espera
Contra nós da tirania,
O estandarte ensaguentado se levantou
Escutem nos campos
Quem são esses são esses ferozes soldados
Eles vão até os vossos braços
Degolar seus filhos e suas mulheres
Às armas cidadãos
Formem seus batalhões
Marchem, marchem!
Que um sangue impuro
Banhe o nosso solo
 
É fácil perceber de qual tirania o hino francês fala, ou quem são os ferozes soldados. Trata-se das monarquias que persistiam em se opor à França, dos conservadores que queriam acabar com a Revolução, em outras palavras, representantes do Antigo Regime.

No entanto, outros elementos ainda podem ser extraídos da “Marselhesa”. Por exemplo, o termo Patrie é uma novidade em relação ao Antigo Regime.  Apenas a partir da Revolução Francesa que surge a ideia de “Nação” e a concepção de um Estado Nacional unificado e não mais sob a tutela de um monarca que teve seu poder concedido por Deus. A partir de agora, o poder era concedido pelo povo e para o povo de uma Nação. A percepção da luta pela liberdade também é latente na “Marselhesa”. A partir da Revolução Francesa esse conceito deixou de ser apenas um status jurídico em oposição à escravidão e se transformou em uma bandeira política para os grupos e para os indivíduos.

A “Marselhesa”, contudo não se trata somente do Hino da França. É uma canção, que assim como os ideias da Revolução Francesa, rodou o mundo e traz consigo o significado de “Igualdade, Liberdade e Fraternidade”.

Fonte: http://historiaeavida.blogspot.com.br
Colaborador(a): Valdir Quirino

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA