Logomarca Velhos Amigos
INFORMAÇÃO / VOVÔ AMA VOVÓ

AMAR E SER AMADO
publicado em: 15/09/2017 por: Lou Micaldas

Amar e desejar ser amado fazem parte da vida, da natureza humana.
Existem muitas formas de amor!

Estou falando isso, porque está havendo um exagero na divulgação de que o sexo é indispensável pra se viver, pra se defender de doenças cardíacas e de outros males.

Está havendo uma cobrança por todos os lados para que todo mundo saia correndo em busca de sexo, como se fosse um remédio fácil de encontrar em qualquer farmácia da esquina.

Há pouco tempo atrás, o amor e o sexo entre os idosos era inaceitável porque se julgava que idosos eram assexuados.

E agora virou terapia quase que imposta.

O idoso não é obrigado a ser assexuado, como pregam os ignorantes e os falsos moralistas,  mas também não é obrigado a sentir tesão pra sobreviver. 

Todos somos livres para sentir ou deixar de sentir. Devemos nos livrar das cobranças e seguirmos adiante, em busca do nosso direito de viver como acharmos melhor.

Precisamos nos libertar da preocupação com aquilo que os outros pensam. Antes de sermos importantes para alguém devemos ser importantes para nós mesmos.

Tenho falado em outros artigos que as diferenças individuais devem ser respeitadas.

Muitos homens e mulheres, mesmo jovens, podem ter menos apetite sexual. São mais voltadas pro esporte, ou pra literatura, pras artes em geral, e não necessitam de sexo frequentemente.

Se essas pessoas encontram prazer nessas atividades e não sentem falta de sexo, não faz o menor sentido saírem por aí, procurando ansiosamente fazer sexo só pra cumprir o que está "na moda" ou porque "faz bem pra saúde".

O que faz bem pra saúde é sentir prazer, é ser feliz.

ANTES SÓ DO QUE MAL ACOMPANHADO

Não se una a qualquer um, só pra ter alguém a seu lado, nem se torture mantendo um relacionamento infeliz.

Quantas pessoas sofrem pra manter a "família" sentindo amargura, sofrendo maus tratos? E ainda existem aquelas que, se sentem sozinhas, abandonadas, no convívio com seu marido, dormindo na mesma cama?

Fazem bodas de prata, de ouro, comemorando a solidão a dois!

Precisamos acabar com pieguismos, tabus, precisamos parar de fingir que estamos felizes pra manter as aparências, pra manter o status de um casamento falido. Essa tortura pode nos levar à doença.

PERDAS IRREPARÁVEIS

Quanto às pessoas que perderam seus parceiros queridos, vão ficar desesperadas, sentindo-se castigadas pelo destino, sentindo-se vítimas e entregando-se à solidão eterna?

Todos sabemos que a dor da perda é enorme e ninguém deve reprimir o sentimento, fingir que é forte, disfarçar.

No momento da perda, deixe toda a sua mágoa aflorar. Não recalque, sofra fundo, chore, recolha-se, se assim desejar, encontre-se consigo mesmo.

Procure uma ajuda terapêutica se você perceber que está perdendo o controle das suas emoções.

Lembre-se: tudo passa. Sua dor também vai passar. Esse é o caminho natural da vida. A natureza é tão sábia que nos presenteia com um dia após o outro e o tempo nos traz novos interesses, novas oportunidades e vai curando as feridas e tornando mais tênue a dor que parecia incurável.

Nós temos o direito e o dever de procurar a felicidade, valorizando o que a vida nos dá de bom, tentando superar as tristezas.

Ninguém pode agüentar um luto eterno. A saudade, a lembrança de um tempo que passou faz parte da nossa existência, mas ficar chorando o resto da vida é caso de tratamento.

A busca da felicidade é um ato instintivo de sobrevivência.

Se você sente falta, não se reprima, nem se deixe levar por preconceitos e tabus tão perniciosos à saúde. Não trave seus impulsos com medo do ridículo, com medo de se machucar.

Abra seu coração e desenvolva uma postura receptiva, atraente. Relacione-se com muita gente, freqüente lugares onde possa conhecer pessoas, aumente o seu círculo, não se feche, você vai se sentir enriquecido com a troca.

A saúde é intimamente ligada à felicidade e viver de modo saudável é investigar, descobrir dentro de si a manifestação mais verdadeira de seus desejos, sem se prender às regras do passado.

MASTURBAÇÃO FAZ BEM PRA SAÚDE

Na falta de alguém, a masturbação é uma solução prática e tão antiga quanto natural para se atingir o orgasmo, sendo uma maneira de descarregar tensões emocionais e de sentir prazer sem depender de ninguém. Estar sozinho não é motivo para você se negar ao prazer do orgasmo.

Use a sua imaginação! As fantasias sexuais são muito necessárias para aumentar o prazer durante o ato masturbatório. A imaginação sempre traz vantagens, inclusive para os muito bem casados.

Decole do seu passado, livre-se das amarras dos falsos moralismos e se satisfaça sexualmente. Lembre-se: O seu corpo pertence a você e na masturbação você está buscando satisfação sexual simplesmente.

Foi um erro cultural julgar a masturbação um pecado, uma coisa suja. Hoje, sabemos o quanto este ato é importante pra que crianças e adultos conheçam os seus corpos, descubram as suas zonas erógenas.

É incontestável que o orgasmo faz bem à saúde e rejuvenesce.

Após a sua satisfação sexual, sem culpa, você se sentirá mais relaxada, e certamente estará mais predisposta a cultivar o afeto, a amar o próximo e a vida.

Amar é um exercício constante.  Você pode se abrir para o amor, expressando os seus sentimentos em forma de palavras, de gestos, de um sorriso, de um olhar.

Faça isso! Experimente sorrir  e receberá um sorriso de volta.

O mundo está cheio de gente que precisa de dar e de receber afeto. Ninguém precisa mais de afeto do que aquele que pensa que não tem nenhum para dar.

Todo mundo precisa se sentir amado, todas as pessoas querem ouvir elogios e declarações de que são importantes e queridas.

UNIÃO SEM SEXO

É muito comum, no mundo moderno, pessoas maduras e equilibradas procurarem um parceiro, uma companhia pra darem e receberem afeto, para saírem de mãos dadas pra passear. Querem apenas isso, unirem-se, desinteressadas de sexo.

É muito provável que uma relação combinada assim, em que as partes dispensam o ato sexual, seja duradoura e satisfatória para ambos.

O amor e o sexo coexistem, mas isto não quer dizer que um não sobreviva sem o outro. Podemos praticar o ato sexual sem amor, buscando uma satisfação física e, por outro lado, podemos amar, só na base do afeto, da ternura do companheirismo, onde as tristezas e as alegrias são compartilhadas.

O prazer não está localizado exclusivamente nos órgãos genitais.

Autor(a): Lou Micaldas

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA