Logomarca Velhos Amigos
INFORMAÇÃO / VOVÔ AMA VOVÓ

IMPOTÊNCIA FRIGIDEZ
publicado em: 09/08/2018 por: Lou Micaldas

O fantasma da impotência e da frigidez, hoje chamada de disfunção sexual, é uma carga que nós, homens e mulheres, trazemos nas nossas mentes, condicionadas por conceitos, preconceitos, repressões e sentimentos de culpa, inibindo as relações sexuais, criando infelicidade e destruindo casamentos.

Os cientistas, médicos e sexólogos afirmam que a vida sexual ativa pode acompanhar os homens e as mulheres ao longo de toda a existência na terra, até mesmo ao se tornar centenária.

POR QUE ISSO NÃO ACONTECE?

Porque o homem "aprendeu" que a virilidade sexual pertence aos jovens, tem tempo limitado e que ao chegar à velhice, ele será mais um impotente, mais um velho assexuado, marginalizado para o amor. O homem traz, desde que se entende por homem, o medo da impotência e do fracasso.

A mulher, que também foi vítima da influência cultural de que o sexo era sujo e pecaminoso, sofre com a falta de orgasmo e de desejo sexual, tudo isso taxado de frigidez. Como poderá sentir prazer fazendo "aquilo" feio?

Assim foi gerada uma sociedade de homens e mulheres que não conseguem usufruir da beleza do amor, do encontro sexual, porque as suas frustrações e limitações sexuais não são bem interpretadas, e o único significado que alcançam é o do fracasso.

Não bastassem todas barreiras de fundo moral e psíquico, temos ainda o medo das doenças sexualmente transmissíveis, sendo a AIDS a pior, porque é fatal.

Enfrentar problemas financeiros, o medo da guerra, das doenças, suportar os traumas psíquicos e os preconceitos são os inimigos constantes da saúde mental da humanidade.

Quando um dos amantes sofre de disfunção sexual, o casal precisa se unir para descobrir as causas.

IMPOTÊNCIA MASCULINA

Falar com sua parceira, reconhecer suas dificuldades, expondo o problema e mostrar-se amoroso e preocupado em satisfazê-la é prova de amizade, auto confiança e masculinidade.

Muitas vezes o homem prefere fugir da situação, negando-se ao ato sexual. Ele tem vergonha do fracasso diante da mulher. Afinal foi educado pra ser infalível e não suporta aparentar qualquer tipo de "fraqueza".

CONSEQUÊNCIA

Muitas mulheres se sentem culpadas e sofrem por julgarem que perderam os atrativos e que seus parceiros, deixaram de sentir interesse em procurá-las. Logo tiram conclusões precipitadas de infidelidade. Partem pra briga e acusações mútuas, aumentando a desarmonia entre eles.

Esta atitude é totalmente prejudicial, demonstra completa ignorância, ocasionando maior desgaste emocional, aumentando a ansiedade de ambos e provocando a desunião.

FRIGIDEZ

A mulher em sua grande maioria resolve o problema da falta de tesão e por conseguinte do orgasmo, aceitando a prática sexual, fingindo sentir o clímax.

POR QUE FINGEM?

Umas porque sentem vergonha, avaliam-se incapazes, doentes, "diferentes" e para não desagradar seu homem, e por medo de perdê-lo, elas preferem fazer um teatro, dando a eles a impressão de que o ato sexual foi uma delícia e assim inflar o ego de seu amado. Pensam que agindo assim estão garantindo o relacionamento.

Porém essas mulheres guardam no fundo de si mesmas, insatisfação e mágoa que irão transparecer de alguma forma mais cedo ou mais tarde.

Elas podem surgir em forma de mal humor, insônia, dores diversas pelo corpo, úlceras, ciúme e outros males causados pelo sufoco desse desgosto, dessa insatisfação e principalmente pela revolta de não ser "normal" de não poder gozar da sensação física e moral resultante do prazer do ato sexual completo.

As dores sinalizam a falta de carinho. Elas podem ser o alerta, o grito para que o mundo exterior perceba as nossas carências.
Ao percebê-las, temos o dever de tratá-las , não repassando ao mundo ou a quem quer que seja o dever que temos conosco, com nossa vida.

Todos os problemas sobre a frigidez e sobre a impotência masculina devem ser tratados com naturalidade, sem disfarces nem meias palavras.

Uma conversa franca entre os parceiros regida pelo amor, pela compreensão, e a confiança mútua seria o primeiro passo para se superar as dificuldades sexuais.

Sugerir o uso de camisinha faz parte dessa conversa franca e é uma prova de cuidado e de amor.

Fazer sexo com segurança, sem medo, relaxa as tensões e é garantia de mais prazer.

JUNTAR O ÚTIL AO AGRADÁVEL

O uso da camisinha, além da vantagem de um sexo mais seguro, proporciona também um ótimo recurso para diminuir a sensibilidade e os impulsos nervosos. O parceiro pode manter a ereção por mais tempo, prolongando o ato sexual, já que o pênis está menos sensível ao contato da vagina e assim, a mulher, sentindo-se mais tranqüila, ganha a chance de chegar ao orgasmo.

Se o problema da impotência ou da frigidez persistir, o casal deve procurar ajuda de um especialista para receberem orientações sobre todos os aspectos do relacionamento sexual.

O tratamento psicanalítico é o melhor caminho para se vencer as dificuldades sexuais que não sejam causadas por fatores orgânicos.

O sucesso será maior e mais rápido se contar com a franqueza do casal. É bom tirarem as máscaras e abrirem o verbo.

Quando a disfunção sexual é de origem orgânica, falta de hormônio, ou outros fatores físicos, o caminho deverá ser o consultório de um urologista; e, para as mulheres, de um ginecologista, se ela preferir.

Portanto, não desanimem. O problema se agiganta diante dos leigos parecendo insolúvel, mas fiquem sabendo que para os especialistas a disfunção sexual é um distúrbio dos mais comuns e geralmente curável.

O companheiro/a tem papel preponderante na recuperação do seu par, por esse motivo, é que devem dar todas as provas de amor, trocando carícias, abraçando-se, beijando-se. 

O beijo e o abraço são fundamentais num relacionamento amoroso. A falta do beijo é um péssimo sinal.

HOJE É DIA

Quando o ato sexual é feito de forma mecânica, cumprindo uma rotina - hoje é dia! - sem ternura, sem entusiasmo é um forte sintoma de que a relação está em crise, precisando de mais atenção e carinho e menos regras. Fica difícil, quase impossível haver tesão com dia e hora marcados.

No caso da ejaculação precoce, é importante que a mulher seja bem informada de que o homem não é culpado por isso, pois é um ato involuntário, é uma disfunção, que se for tratada, será superada.

No caso da "frigidez", o parceiro precisa descobrir como despertar a libido da mulher, com carinho, paciência, imbuído da certeza de que não existem mulheres frias, mas mal acariciadas, mal compreendidas.

Quantas são as mulheres que nunca sentiram orgasmo com seus maridos e foram surpreendidas por esse prazer num dia de aventura, num motel com um homem a quem elas sequer amavam?

QUEBRANDO REGRAS EQUIVOCADAS

O entrosamento entre as partes, o amor e a compreensão poderão levar o casal a criarem alternativas muito prazerosas, sem que seja necessária a penetração.

Muitas vezes, o homem pode sofrer algum tipo de impotência, por ficar ansioso com a demora da mulher em chegar ao orgasmo.

É bom lembrar que antes da penetração, do ato em si, as carícias preliminares são de alto valor e oferecem grande excitação entre os amantes. Mas também é bom que se saiba que o prazer sexual da mulher não deve ser vinculado à penetração. Isto é uma concepção tão antiga, quanto equivocada.

Para a mulher o sexo oral e a massagem clitoriana são consideradas excelentes fontes de prazer e o homem pode se sentir mais relaxado e menos ansioso, quando perceber que pode satisfazer plenamente a sua amada por esses meios.

A parceira pode retribuir da mesma forma, massageando delicadamente o pênis e fazendo sexo oral, levando seu par ao clímax. Mas não se esqueçam do uso do preservativo oral.

O bom amante é compreensivo. Não espera nem cobra da mulher um orgasmo todas as vezes. Ela pode estar querendo só uma troca de afago sem apelo sexual.

A mulher segura de si e da compreensão de seu parceiro, se sente desobrigada de ser aquela maioral, a "orgástica". Ela se permite fazer amor pelo prazer de dar, ainda que não chegue ao clímax.

Todo o envolvimento amoroso e a troca de carícias já oferecem prazer sexual satisfatório. É uma forma de orgasmo, desde que não haja cobrança das partes.

Tanto o homem quanto a mulher ao se sentirem livres, desobrigados de apresentar bom desempenho certamente terão o desempenho melhorado e mais probabilidade de chegarem ao clímax.

NOVA GERAÇÃO DE VELHOS

Ninguém é obrigado a ficar senil, a sofrer de doenças crônicas, a ficar impotente, a sofrer de frigidez por causa da idade. Precisamos nos libertar desses males arquivados na nossa mente cheia de repressão e de falsos conceitos morais.

Nós somos uma nova geração de "velhos" e temos todos os meios de informações para vivermos confiantes, felizes, amando e sendo amados sem os ranços do passado. 
O homem não precisa ser o atleta sexual e a mulher não precisa ser a vênus do amor, nem fingir orgasmo. 
E vivam felizes!

Revisão: Anna Eliza Führich

Autor(a): Lou Micaldas

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA